A manobra do Atlético para ganhar uns dias a mais de preparação para a primeira partida da semifinal do Campeonato Paranaense deu certo. Empurrando o jogo de quinta-feira para hoje, o técnico Petkovic teve tempo para trabalhar mais o seu elenco e como resultado promoverá mudanças na equipe para o jogo das 18h30, contra o Londrina.

O encontro entre as equipes será no Ecoestádio Janguito Malucelli. O jogo da volta acontece na próxima quarta-feira em Londrina, afinal, o Tubarão teve campanha melhor que o Furacão na primeira fase. Todas as habilitações foram feitas e o time terá apoio total de aproximadamente três mil torcedores. Alguns deles, inclusive, devem chegar com a bola rolando, afinal algumas horas antes acontece o jogo-teste da Arena da Baixada.

Entre as novas opções, o treinador do sub-23 atleticano ganha dois importantes reforços vindos da equipe principal. O zagueiro Léo Pereira e o volante Deivid devem ser as principais surpresas na escalação para a partida. Léo Pereira ganha uma chance na zaga ao lado de Lucas Alves (Ricardo Silva esta suspenso) e Deivid aparece na vaga que pertence a Otávio (expulso na partida anterior contra o Paraná).

Outro que ganha uma chance é o atacante Bruno Furlan. Pela esquerda, Sidcley retorna ao time após cumprir suspensão automática. Lucas Olaza volta ao banco de reservas. Na meia cancha, Zezinho pode ser o titular, mas Nathan também é opção.

O treinador atleticano lamenta não contar com o que ele chamou de “coração do meio-campo”, se referindo a Otávio e Hernani. Contudo, confia na capacidade de quem entra, afinal eles estão sendo treinados justamente para isso. “Temos um grupo que esta sendo preparado para entrar no jogo. Estamos preparando as substituições e espero que sejam no mesmo nível”, comentou Pet.

O desempenho do Furacão foi irregular durante o campenato todo, mas, aos poucos, o treinador parece ter conseguido dar uma cara ao Atlético. Em 13 jogos, foram cinco vitórias e cinco derrotas (com três empates). Entretanto, o futebol da última partida validou o sonho dos piás atleticanos em chegar à final do campeonato.

Mas é importante não confundir a confiança de que “é possível” com excesso de confiança. “Na parte psicológica eles estão bem melhores e mais conscientes de que têm potencial. Estão confiando mais, mas ao mesmo tempo com os pés no chão. A união e a força de vontade é que diferencia essa garotada”, disse o treinador atleticano.