Como o ex-prefeito Luciano Ducci não sancionou o aumento de R$ 33 milhões nas cotas de potencial construtivo que serão repassadas à CAP S/A, para as obras de adequação da Arena da Baixada, o presidente da sociedade, e também do Atlético, Mário Celso Petraglia, esteve ontem na posse do novo prefeito Gustavo Fruet, que adotou um discurso cauteloso em relação à gastança.

Ele pediu um prazo de 100 dias para “verificar os contratos e dívidas da prefeitura” e adiantou que, num “acordo com o governo federal”, se comprometeu a concluir as obras previstas pelo PAC da Copa para “que a cidade não seja prejudicada”.

Antes de o prefeito assumir, a Câmara Municipal de Curitiba aprovou modificação na lei do potencial construtivo, que ampliou os recursos destinados à sobras da Arena, de R$ 90 milhões para R$ 123,6 milhões.