Horas depois de fazer um forte desabafo nas redes sociais e dizer que estava sendo aposentado da seleção antes de decidir parar, Diego Hypolito ganhou uma nova esperança de disputar o Mundial Masculino de Ginástica, que acontece em outubro, na China. Pétrix Barbosa, que teoricamente seria o primeiro reserva na competição, foi cortado nesta quinta-feira por lesão.

“Infelizmente aconteceu esse corte, no dia da viagem. Fiquei sabendo às 9 horas da manhã. Fiz exames ontem (quarta). Estava com muitas dores na lombar, vinha segurando, treinando. Eu seguia treinando forte, mas uma hora o fisioterapeuta falou: vamos fazer exames. É uma fratura na bilateral na L5”, explicou Pétrix, em entrevista ao SporTV.

Na quarta, a FIG (Federação Internacional de Ginástica) anunciou a lista de inscritos no Mundial, sem Diego Hypolito. O ginasta, que está entre os melhores do mundo no solo e no salto, faz parte de um grupo de oito atletas que embarca esta noite para a aclimatação no Japão. A CBG (Confederação Brasileira de Ginástica) tem pelo menos mais três semanas para alterar a lista, mas Diego preferiu desabafar no Facebook.

“Hoje (quarta) descobri que não tenho chance de medalha mundial! Engraçado, pois na competição da semana passada (Pan de Ginástica) tirei 15.625 (no solo)! E na semana anterior, 15.600 na seletiva para o Pan! Hoje a minha posição é segundo reserva do Mundial, sendo que sou o atual quinto do mundo de solo e o sexto do mundo de salto. Estão me parando antes de eu sair da ginástica”, reclamou Diego.

Neste Mundial, a preocupação do Brasil é com o resultado por equipes – seis ginastas se apresentam, contando as quatro melhores notas por aparelho. Afinal, o time brasileiro precisa ficar entre os 24 melhores para se garantir no Mundial de 2015, quando estarão em jogo oito vagas por equipes para os Jogos do Rio/2016. O Brasil só tem garantido um ginasta na Olimpíada e, se quiser ter equipe completa, precisa obter a classificação por méritos.

Atualmente, o Brasil tem cinco atletas com bons resultados no individual geral: Sergio Sasaki, Artur Nory Mariano (finalistas do Mundial 2013), Lucas Bitencurt (melhor brasileiro do Pan), Caio Souza (duas medalhas no Pan) e Francisco Barretto (especialista nos piores aparelhos da ginástica brasileira: barra fixa, paralelas e cavalo com alças).

A equipe seria fechada por Arthur Zanetti, que colaborou com a nota por equipes no Pan no solo e é favorito ao título mundial nas argolas. Hypolito, que só somaria nota para o time no salto e no solo (em que há outras atletas bons), não teria um papel tão decisivo na disputa por equipes. Por isso, a função de primeiro reserva na China seria de Pétrix.

“O Diego poderia ter esperado um pouco. Entendo a chateação, mas ele poderia ter esperado um pouco mais”, comentou o atleta cortado, lembrando que Diego tinha a opção de segurar as críticas à espera de um corte (que veio) ou de ganhar a vaga convencendo a comissão técnica. Agora, o veterano da seleção deverá ser o primeiro reserva no Mundial.