Um dos maiores celeiros de surfistas do Brasil no passado, o Estado do Rio Grande do Norte está voltando ao cenário nacional neste ano. A praia de Rio Doce, em Nísia Floresta, cerca de 30 km ao sul de Natal, a capital potiguar, foi a escolhida para receber a primeira seletiva Petrobras de Surfe Masculino nos dias 24 a 27 de fevereiro, na semana seguinte a do Hang Loose Pro Contest de Fernando de Noronha (PE), que será disputado entre os dias 14 e 20. Repetindo o que vem ocorrendo nos últimos anos, a Petrobras continua aumentando o investimento no surfe brasileiro a cada temporada. Para 2005, promoverá uma prova a mais da divisão de acesso do Circuito Brasileiro de Surfe Profissional Masculino, uma a mais também do Petrobras Longboard Classic, além de repetir as três etapas do Circuito Petrobras de Surfe Feminino e ainda o evento especial Festival Petrobras de Surfe, perfazendo um total de R$ 180 mil em prêmios para os surfistas e longboarders do Brasil.

As competições da categoria feminina e do longboard são mais antigas, mas a masculina foi implantada no ano passado pela Petrobras, com duas provas realizadas no Sul do País, mais precisamente em Ubatuba (SP) e Florianópolis (SC). Agora, seguindo o mesmo caminho das outras duas, a Seletiva Petrobras de Surfe Masculino também terá uma etapa na região Nordeste.

"Nosso objetivo é dar oportunidade para que os surfistas nordestinos também possam competir em casa, pois a maioria dos campeonatos importantes do surfe é realizada nas regiões Sul/Sudeste do País", destaca Lúcio Pimentel, gerente de imprensa da Petrobras. "O Nordeste historicamente nunca parou de revelar grandes valores e o último deles é o cearense Pablo Paulino, que acaba de conquistar o título mundial Pro Junior na Austrália. Então, resolvemos levar a Seletiva Petrobras de Surfe Masculino para lá também e escolhemos o Rio Grande do Norte para sediar a competição neste ano", contou Lúcio Pimentel.

E a região Nordeste só tem que agradecer a Petrobras pela oportunidade, principalmente a Federação de Surfe do Rio Grande do Norte, cujo presidente, Renato Lisboa, não está medindo esforços para que o evento seja um grande sucesso. "A expectativa é excelente, porque está vindo muita gente boa competir aqui de novo e que há muitos anos não vinha, pois desde 1995 não temos um campeonato de nível nacional aqui no estado", ressalta Renatinho. "Desde que criamos a federação, com tudo legalizado, nosso objetivo era organizar o surfe no estado para reinserir o Rio Grande do Norte no cenário nacional e esse evento será muito importante para unir todas as forças que atuam na organização do surfe potiguar", disse Lisboa.

Ele também espera que essa rota Fernando de Noronha-Rio Grande do Norte vire uma tradição. "Tomara que isso perdure por muitos anos e certamente trabalharemos com todo afinco para que o evento aconteça redondinho e todos saiam daqui com uma ótima impressão dessa primeira experiência. Também quero parabenizar a Petrobras por ter decidido realizar a competição aqui no Rio Grande do Norte, além da RM Sports, que organiza o evento", agradeceu Renato Lisboa.

Além do Rio Grande do Norte, outras duas etapas da Seletiva Petrobras de Surfe Masculino já estão confirmadas. A segunda será disputada entre os dias 21 e 24 de julho na Praia de Itaúna, em Saquarema (RJ). E a terceira nos dias 1.º a 4 de setembro na Praia Mole, em Florianópolis (SC). Em cada prova, estarão em jogo 40 mil reais em prêmios e 1.000 pontos no ranking que classifica 20 surfistas para a elite nacional do SuperSurf, a divisão principal do Circuito Brasileiro Profissional.

Já o Circuito Petrobras de Surfe Feminino de 2005 começa nos dias 1.º a 3 de abril na Praia de Itamambuca, em Ubatuba (SP). A segunda etapa está marcada para os dias 17 a 19 de setembro e será realizada na região Nordeste, porém o local ainda não foi anunciado. Nessas duas primeiras a premiação é de R$ 15 mil e a última dará R$ 20 mil e será disputada nos dias 17 a 19 de novembro na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro (RJ). Essa competição também é válida pela divisão de acesso do Circuito Brasileiro Profissional e indicará as oito surfistas que vão completar o grupo feminino do SuperSurf em 2006.

Completando a relação dos eventos da ABRASP (Associação Brasileira de Surfe Profissional) promovidos pela Petrobras, o Petrobras Longboard Classic 2005, que praticamente define o campeão brasileiro dos pranchões, será inaugurado nos dias 13 a 15 de maio em Salvador (BA). A segunda etapa foi agendada para 19 a 21 de agosto em Santos (SP) e a última para 18 a 20 de novembro no Rio de Janeiro (RJ). Em cada uma das três provas, serão oferecidos R$ 20 mil em prêmios aos longboarders.

Festival

Logo depois de encerradas as três competições, nos dias 16 a 18 de dezembro os atletas mais bem colocados na Seletiva Petrobras de Surfe Masculino, no Circuito Petrobras de Surfe Feminino e no Petrobras Longboard Classic, se classificam para disputar mais 30 mil reais numa competição especial por equipes, o Festival Petrobras de Surfe, na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro (RJ). Esse evento estreou no ano passado e foi um grande sucesso, até porque o sistema de disputa é único, com equipes formadas por um surfista de pranchinha, uma surfista e um longboarder.

Andréa Lopes se destaca na Copa Movistar no Peru

Em boas ondas variando de 1 a 1,5 metro de altura na Playa Asia, localizada 100 km ao sul da capital Lima, a Copa Movistar Pro Peru 2005 foi inaugurada com as brasileiras sendo o grande destaque da quinta-feira no Peru. A tricampeã brasileira Andréa Lopes totalizou a maior pontuação – 14,25 de 20 possíveis e a niteroiense Juliana Guimarães recebeu a maior nota – 8,25 nas seis baterias das triagens da primeira etapa das séries qualificatórias para o ASP World Championship Tour (WCT) a ser realizada na América do Sul. Patrocinado pela Telefônica Movistar, o evento oferece US$ 25 mil de premiação e vale 2.000 pontos no ranking que garante seis vagas na divisão de elite do surfe mundial feminino. Onze brasileiras continuam na disputa do título que será decidido amanhã, mas a grande favorita é a atual campeã mundial do WCT, Sofia Mulanovich, que compete em casa.

No total, 52 surfistas de dez países se inscreveram para competir na Copa Movistar Pro Peru 2005. O Brasil e a Austrália formaram os maiores esquadrões, com doze representantes cada. Oito delas estrearam na quinta-feira e apenas Marianne Kerr foi eliminada, isso porque participou de uma bateria 100% verde-amarela, contra a recordista Andréa Lopes e a catarinense Juliana Quint, que avançaram para enfrentar as cabeças-de-chave da competição na segunda rodada. Além delas, também se classificaram juntas a carioca Brigitte Mayer com a capixaba Yries Pereira e a paulista Elisa Costa com a niteroiense Juliana Guimarães, que surfou a melhor onda do dia – nota 8,25 no último confronto da quinta-feira no Balneário de Asia.

A catarinense Larissa Barbiere, novidade no grupo feminino que neste ano vai disputar o SuperSurf, divisão principal do Circuito Brasileiro, também estreou bem com uma vitória na penúltima bateria. Já a grande surpresa do primeiro dia foi a venezuelana Natasha Rodrigues, que ganhou uma nota 7 dos juízes em sua melhor onda para vencer a terceira bateria, contra a norte-americana Ash-ley Bobb e a peruana Valeria Sole, que foi eliminada do evento.