Michael Phelps confirmou o favoritismo e venceu a final dos 100 metros borboleta neste sábado no Mundial de Esportes Aquáticos de Xangai. O americano marcou o tempo de 50s71 e garantiu o bicampeonato na prova.

Phelps sofreu para conquistar sua terceira medalha de ouro em Xangai. Ele chegou a ficar em terceiro depois da virada dos 50m e precisou acelerar nos metros finais para assegurar o primeiro lugar. O polonês Konrad Czerniak ficou com a prata (51s15), enquanto o americano Tyler McGill levou o bronze (51s26).

Sem mostrar o mesmo ímpeto do Mundial de Roma, disputado em 2009, Phelps vai aos poucos recuperando o terreno perdido em Xangai. Depois de uma estreia irregular, quando ficou com o bronze no revezamento 4x100m livre, ele foi superado pelo compatriota Ryan Lochte por duas vezes, nos 200m livre e nos 200m medley.

O supercampeão olímpico se redimiu das derrotas com o título no 200m borboleta, com o qual fez uma dobradinha neste sábado, ao vencer a prova dos 100m no mesmo estilo. Ele acumula ainda a medalha de ouro no revezamento 4x200m livre.

Outro destaque do dia foi a vitória da americana Melissa Franklin, de apenas 16 anos, nos 200 metros costas. Ela venceu a prova com o tempo de 2min05s10 e deixou a australiana Belinda Hocking (2min06s06) e a holandesa Sharon van Rouwendaal (2min07s78) para trás.

Nos 50 metros livre feminino, a holandesa Inge Dekker subiu ao lugar mais alto do pódio, com 25s71. Ela desbancou a recordista mundial Therese Alshammar, da Suécia, que ficou com a prata (25s76). A francesa Melanie Henique faturou o bronze, com 25s86.

Nos 800 metros livre, a campeã olímpica Rebecca Adlington recuperou o domínio na prova ao marcar 8min17s51 e derrotar a dinamarquesa Lotte Friis, campeã mundial em 2009. Friis levou a prata, com 8min18s20, enquanto a americana Kate Ziegler ficou com o bronze – 8min23s36.

Na final do revezamento 4×100 metros medley feminino, os Estados Unidos brilharam e faturaram o ouro com mais de três segundos de vantagem sobre a China. A equipe americana marcou 3min52s36, à frente dos 3min55s61 das chinesas. A Austrália ficou com o bronze (3min57s13).

A equipe brasileira não conseguiu chegar à final. Etiene Medeiros, Daynara de Paula, Carolina Mussi e Tatiana Lemos registraram apenas o 17º nas eliminatórias e não conseguiu garantir a vaga nos Jogos Olímpicos de Londres – somente os 12 primeiros asseguravam a classificação. As brasileiras ainda tem chances de obter o índice olímpico.

Nas eliminatórias deste sábado, a americana Jessica Hardy confirmou o favoritismo e marcou o melhor tempo do dia dos 50m peito, com 30s40. Nos 50m livre, o domínio foi da holandesa Ranomi Kromowidjojo, com o tempo de 24s56. A brasileira Flávia Delaroli não conseguiu avançar à semifinal, ainda no período da manhã (noite de sexta no Brasil). Ela registrou o tempo de 25s47 e ficou em 18º.

No masculino, o britânico Liam Tancock avançou à final dos 50m costas com o melhor tempo das eliminatórias, com 24s62. O brasileiro Guilherme Guido marcou 25s58 e ficou em 19º, fora das semifinais, pela manhã, em Xangai.

As disputas deste sábado não mudaram a ordem no quadro de medalhas do Mundial de Xangai. A anfitriã China segue na liderança, com 14 de ouro e 35 no total. Mais próximos, os Estados Unidos acumulam 13 medalhas de ouro e 26 no total. A Rússia soma 17, 8 delas de ouro. O Brasil segue em quarto, agora com quatro ouros, após a vitória de Cesar Cielo nos 50 metros livre.