Aparecer de chinelo no saguão do hotel, falar pelo celular na hora do jantar, usar a camisa fora do calção e se misturar com pessoas de fora do grupo eram itens proibidos até pouco tempo atrás no Palmeiras, quando dirigido por Vanderlei Luxemburgo. A cartilha do treinador, muito rigorosa na visão de alguns atletas, ainda era utilizada até o fim do ano passado, após sua saída, com Flávio Murtosa e Levir Culpi, mas foi “rasgada” por Jair Picerni, atual comandante.

Picerni, nos primeiros dias de trabalho de pré-temporada no Sul de Minas Gerais, tratou de deixar os jogadores à vontade como eles verdadeiramente gostam, e disse que, além da disciplina, só vai cobrar uma coisa: bons resultados dentro de campo. “Não os proíbo de muitas coisas, só falei a eles que sou alucinado pelos três pontos.” Os jogadores passeiam pela concentração com a roupa que acham melhor e não têm nenhuma restrição quanto à utilização de chinelo ou camiseta para fora da calça. Autógrafos, fotos e bate-papo entre os atletas e o restante dos hóspedes do Pousada Maracanã são ocorrências normais no atual elenco do Palmeiras. Zinho, por exemplo, brincou com um garoto que lhe pediu autógrafo. Picerni fez o mesmo com um menino, que, de presente de aniversário, pediu para tirar uma foto do seu lado.

O ambiente do grupo está voltando ao normal, depois de um turbulento ano de 2002, com briguinhas, trocas de críticas e o péssimo desempenho da equipe em campo. “Esse tipo de concentração, em que a delegação se mistura com pessoas normais, é legal, você não se sente um prisioneiro, pode jogar boliche, pescar, conversar com outro tipo de gente”, opinou o goleiro Marcos. “O tempo passa muito mais rápido.” O hotel do Palmeiras está aberto ao público. Os jogadores, por exemplo, dividem a piscina com os turistas e não se incomodam com isso.

Reforços

O Palmeiras anunciou ontem a contratação o lateral-esquerdo João Marcelo, de 28 anos, que pertence ao Ferroviário-CE. O jogador, que fica no clube até 31 de dezembro, já está integrado ao elenco do técnico Jair Picerni e começou a treinar em Pouso Algre, Minas Gerais, onde o time faz a pré-temporada. A principal característica de João Marcelo é o apoio ao ataque. No último Brasileiro da Série C, ele marcou 4 gols pelo Ferroviário. E no Campeonato Cearense, fez 14.

Enquanto João Marcelo chega, o meia-atacante Juliano deixa o clube. Envolvido na prorrogação do reempréstimo de Nenê ao Palmeiras, ele vai para o Paulista de Jundiaí e, inclusive, já deixou a concentração do time em Pouso Alegre.

O próximo nome a ser anunciado pode ser o do atacante Leandro, liberado pelo São Paulo por não ter agradado na última temporada. Picerni confirmou que há interesse em contar com o atleta no campeonato paulista e na Copa do Brasil. “Ele poderia jogar como um primeiro atacante, poderia jogar ao lado do Dodô.” Sua única preocupação é em relação à condição física do atleta. Por isso, serão feitos exames detalhados. “Se ele chegar, é para entrar no time, porque é bom jogador”, completou Picerni. O Palmeiras tem, no entanto, a concorrência do Santos., que já fez contatos para levá-lo à Vila Belmiro.