A estreia do circuito de rua do Anhembi, na manhã deste sábado, foi a grande atração do primeiro treino livre da Fórmula Indy. E, de uma maneira geral, os pilotos reclamaram das dificuldades impostas pela pista, principalmente com as ondulações e os problemas de aderência.

“Está bem complicado. A pista está muito ondulada”, revelou o brasileiro Mário Romancini, que sofreu um acidente durante a primeira sessão. Ele, no entanto, acredita que o estrago não foi grande. “Vamos ver se dá para consertar”, afirmou o piloto, já pensando na disputa do segundo treino livre, que acontece ainda neste sábado, a partir das 12h30.

“É um desafio muito grande. A pista é muito maluca, com muitas ondulações. Eu preciso ter um bom trabalho para encontrar um bom ajuste até a sessão do grid”, contou o escocês Dario Franchitti. “Temos que fazer muitos ajustes. É bem diferente, como toda corrida de rua. Você pensa uma coisa, vai para a pista é outra. Todo mundo se surpreendeu com o grau de dificuldade”, disse o brasileiro Vitor Meira.

“É uma pista desafiadora, muito rápida. O único problema é a reta principal, que está patinando bastante, mas, fora isso, está muito legal”, explicou o brasileiro Hélio Castroneves. “Gostei muito da pista. A única coisa é a reta principal, escorrega muito”, concordou o venezuelano Ernesto Viso.