Quatro escadas com esta estão
sendo construídas para atender
a torcida das cadeiras.

A torcida paranista terá mais espaço e conforto a partir do dia 1.º de junho, quando o Tricolor enfrenta o Flamengo, na 11.ª rodada do Brasileirão. Cumprindo a uma determinação do Corpo de Bombeiros, a Federeção Paranaense de Futebol (FPF), proprietária do Pinheirão, transformou as cadeiras do estádio em canteiro de obras. A intenção é liberar mais 5 mil cadeiras superiores do estádio, aumentando sua capacidade total para 28.800 lugares. O prazo estipulado para conclusão das obras era setembro, mas a boa campanha do Paraná Clube no campeonato brasileiro fez a FPF agilizar a construção.

Na última vistoria realizada no estádio, o Corpo de Bombeiros determinou a instalação de pelo menos quatro escadas de acesso externo para as cadeiras superiores. A ordem vem de cumprimento à necessidade de evacuação de pessoal, em caso de sinistro, em no máximo seis minutos. “O acesso era restrito à parte frontal. Por isso, os torcedores levavam muito mais tempo para deixar as cadeiras superiores”, diz o presidente da Federação Paranaense de Futebol, Onaireves Moura.

Ao todo, estão sendo construídas quatro escadarias independentes. Uma delas, próxima à área disponibilizada para o time visitante, poderá ser utilizada como área de acesso para a torcida adversária. “Se o Paraná desejar, poderá ceder parte das cadeiras à torcida visitante, especialmente em clássicos. Como o acesso é independente, será mais fácil fazer o isolamento”, diz Moura.

Além da construção das escadas, está sendo feita uma reforma nos vestiários da arbitragem e do exame antidoping, que estarão prontos para a partida de amanhã. Ao todo, estão sendo investidos R$ 70 mil e quarenta profissionais estão trabalhando durante todo o dia na obra.

Atenta à questão de segurança, a FPF orientou os trabalhadores da obra para que façam o isolamento na área que contém restos de construção, impedindo o contato dos torcedores com o material.

Cuca descontrai o grupo para tentar outra vitória

Irapitan Costa

O jogo de amanhã, frente à Ponte Preta, é chave para a seqüência do Paraná Clube no Brasileirão. Uma vitória assegura no mínimo a manutenção da sexta colocação – dependendo dos outros resultados, o clube pode chegar até à terceira posição – e, principalmente, a recuperação emocional de um grupo que ficou excessivamente abalado com a derrota no clássico. Nos últimos dias, o técnico Cuca tratou de descontrair o ambiente e assegurar a união do grupo.

O poder de reação do elenco estará à prova, mais uma vez. Isso já ocorrera no jogo frente ao Goiás. O Paraná havia perdido em Campinas (2×0, para o Guarani), mas reabilitou-se com sobras num jogo onde teve um comportamento acima da média no primeiro tempo. Fez dois gols e desperdiçou ao menos três outras chances reais. A segunda derrota no campeonato foi mais traumática – inclusive com cobranças internas – e por isso a “volta por cima” é quase uma obrigação.

“Temos que saber administrar essa necessidade para não transformá-la em uma pressão desnecessária”, ponderou Cuca. O treinador pretende utilizar a concentração de hoje para dar atenção especial à mobilização do elenco para o jogo de amanhã. “A nossa preparação tem sido feita desta maneira, jogo a jogo. Perdemos uma partida, mas não vamos alterar o trabalho”, disse Cuca. As palavras se confirmaram nos treinos, onde a base do time foi mantida e algumas variações testadas.

Mesmo pensando em um adversário de cada vez, Cuca sabe que no jogo de amanhã a consquista de três pontos é imprescindível para a recuperação da auto-estima. Na nona rodada seu time terá uma “pedreira” pela frente, jogando no Morumbi diante do São Paulo. No Pinheirão, o Paraná já bateu Atlético Paranaense, Goiás e Bahia, marcando três vezes em todos os jogos. “Temos jogado bem e aproveitado pelo menos a metade das chances claras de gols. Isso nos dá tranqüilidade”, disse o artilheiro Renaldo.

O atacante tinha planos de manter uma média de um gol por jogo, mas “passou em branco” nas três últimas partidas do time. “Acho até que está me faltando um pouco de sorte. Mas isso vai mudar”, garantiu.

Paraná entra com promoção

O Paraná Clube também está fazendo a sua parte para atrair sua torcida ao Pinheirão e barateou o preço do ingresso de cadeiras, um belo incentivo para o torcedor assistir aos jogos mesmo nos dias mais frios e chuvosos, com mais conforto. Já para o compromisso de amanhã, contra a Ponte Preta, os torcedores que comprarem ingresso de cadeiras até as 18h de hoje pagarão R$ 15,00. No dia do jogo, o mesmo ingresso custa R$ 25,00. “Essa promoção será válida para os próximos compromissos”, adianta o gerente social do clube, Luís Carlos Casagrande.

Para sócios com a taxa de mensalidade em dia, os ingressos de cadeiras custam R$ 10,00. O mesmo preço vem sendo praticado no setor Pais e Filhos, nas cadeiras inferiores, no qual o adulto deve estar acompanhado de um menor de 12 anos. O preço reduzido tem atraído um número considerável de torcedores. “Na partida contra o Bahia, vendemos mil ingressos para o setor. Como cada adulto leva uma criança, 2 mil torcedores acompanharam o jogo das cadeiras inferiores”, diz Casagrande. Como o espaço dispõe de 3,2 lugares, a expectativa é de que, com a boa campanha do Paraná, nos próximos jogos o setor esteja lotado. Para a partida com o São Caetano (24 de maio), o clube pretende instalar brinquedos infláveis para que a criançada se divirta antes e no intervalo dos jogos.