São Paulo – O depoimento do árbitro Romildo Corrêa, dado à Polícia Federal e aos promotores que investigam o caso, na tarde de ontem, incriminou ainda mais o desempregado Vanderlei Pololi, acusado de ser o aliciador de árbitros no esquema de corrupção do futebol brasileiro.

Corrêa e Pololi foram colocados frente a frente e o piracicabano confessou que esteve no escritório de advocacia onde o juiz trabalha, em Osasco, em setembro de 2004. Disse que foi até lá para tratar da sua aposentadoria. Até então, Vanderlei havia negado qualquer contato com árbitros de futebol.

?Ele não me encarou?, disse Romildo.