A edição de 2015 do Rally Dakar fez a sua primeira vítima. O motociclista polonês Michael Hernik, de 39 anos, teve a sua morte confirmada na noite de terça-feira por causas ainda não reveladas, informaram os organizadores da competição, realizada na América do Sul.

A morte de Hernik aconteceu durante a terceira etapa do Dakar, realizada na última terça-feira entre as cidades de San Juan e Chilecito, na Argentina. Não havia indícios, porém, de que Hernik tenha sofrido um acidente, e as circunstâncias da sua morte não foram esclarecidas.

Após a perda do sinal que permitia o rastreamento de Hernik, foi iniciada a busca pelo polonês. Um helicóptero-ambulância o encontrou a cerca de 300 metros da rota. “Infelizmente, o médico a bordo só pôde confirmar a morte do competidor”, disse o comunicado divulgado pela organização do Dakar.

Esta era a primeira vez que Hernik participava da corrida. Ele estava em 84º lugar na classificação geral, e tinha participado em competições nos Emirados Árabes Unidos e no Marrocos, como parte de sua preparação para o Dakar na América do Sul.

“Não temos nenhuma informação sobre as razões da morte. Aparentemente, não houve nenhum choque”, disse Gregory Murac, diretor de relações internacionais Do Dakar. “Agora temos que determinar quais foram as causas da morte, com o procedimento judicial que está começando aqui na Argentina”.

Hernik é o quinto competidor que morre no Dakar desde que a competição passou a ser realizada na América do Sul em 2009.