A partida da seleção brasileira masculina de vôlei contra a Itália, neste domingo, no Forum Assago, em Milão, pela última rodada do Grupo A da Liga Mundial, virou uma decisão para o time comandado pelo técnico Bernardinho. Neste sábado, a Polônia derrotou o Irã por 3 sets a 0 – parciais de 25/23, 25/20 e 25/17 -, em casa, na cidade de Gdansk, e colocou uma enorme pressão nos brasileiros.

Para conseguir a classificação à fase final da competição, chamada de Final Six, o Brasil tem de vencer a Itália, já classificada por ser a sede desta etapa decisiva, por 3 sets a 0 ou 3 a 1. Assim, a seleção de Bernardinho empataria em pontos com a Polônia (17) e ficaria em vantagem no primeiro critério de desempate, que é o set Average (divisão dos sets ganhos pelos perdidos).

No entanto, até mesmo com uma vitória a vaga pode não ser conquistado. Isso acontecerá caso o Brasil, que é o maior vencedor da história da Liga Mundial com nove títulos, ganhe o jogo deste domingo por 3 sets 2.

Experiente, o ponteiro Murilo sabe da importância de manter o bom desempenho obtido nos dois últimos jogos – vitórias sobre a Polônia, por 3 sets a 0, e sobre a própria Itália, na quinta-feira passada, por 3 a 1, em Bolonha. “Precisamos entrar em quadra como foi na quinta, valendo a vida na Liga Mundial. Estamos bem, o time cresceu muito nas duas últimas semanas e mostramos isso. Agora, queremos jogar bem e provar para nós mesmos a qualidade do nosso time. Queremos fazer valer a pena todo o trabalho que vem sendo feito desde o início da preparação, sempre treinamos muito, tentamos e temos que continuar na luta por nós, pelos companheiros de time, pelas famílias e por todos aqueles que torcem pela seleção brasileira”, disse.

A forte pressão na busca pela vitória, neste domingo, não perturba o ponteiro do Brasil. Murilo está acostumado e sabe que o grupo pode tirar pontos positivos desta situação. “Convivemos com a pressão há muito tempo. Não tem um único jogo onde a seleção brasileira não enfrente isso. Lógico que agora pode ser maior porque é uma decisão. E é bom fazer esse tipo de jogo, já que colocamos o time à prova. Quem não tem experiência, ganha, e quem tem, precisa se manter firme durante toda a partida. É um jogo importante, mas não tem muito mistério. Temos que entrar e jogar melhor do que eles”, afirmou.