Se a estreia da partida das 11 horas de domingo no programa do Campeonato Brasileiro não teve grande público (pouco mais de 11 mil pagantes), ao menos foi repleta de emoções. O Grêmio abriu 2 a 0 com dois de Yuri Mamute, cedeu o empate, voltou à frente, mas a Ponte Preta estava viva. O time da Campinas buscou o 3 a 3 no último lance do jogo, aos 49 minutos do segundo tempo, na Arena do Grêmio, em Porto Alegre.

O Grêmio começou assustando e chegou a balançar as redes logo aos cinco minutos com Pedro Geromel. A arbitragem, no entanto, assinalou impedimento e invalidou o gol. O lance mostrou qual caminho os donos da casa tomariam para tentar vencer. Com um meio-campo sem inspiração e bem marcado pelo adversário, o time gaúcho praticamente não criou. Escalado para fazer companhia a Giuliano na armação, o jovem Lincoln ficou muito isolado pelo lado esquerdo e foi presa fácil para o sistema de marcação adversário.

Os donos da casa usaram a bola aérea para abrir o placar. Aos 24 minutos, Luan cobrou falta e Yuri Mamute desviou de cabeça para o fundo das redes. A Ponte, por sua vez, apostou na velocidade de Rildo e Biro Biro. A dupla deu trabalho, mas não chegou a finalizar ao gol de Marcelo Grohe. Faltou qualidade na criação para os dois times. Resultado: primeiro tempo morno e sem chances de gol.

A Ponte Preta voltou com uma nova postura na etapa final. O técnico Guto Ferreira colocou o atacante Diego Oliveira para brigar com os zagueiros gremistas. A alteração demorou a engrenar e o Grêmio conseguiu ampliar logo aos 8 minutos, após falha do time campineiro. Josimar errou passe no meio-campo e deu nos pés de Luan. O meia-atacante arrancou, deixou dois marcadores para trás e rolou para Yuri Mamute. O atacante driblou Lomba e mandou para o gol.

Os visitantes cresceram, mesmo perdendo por 2 a 0. Biro Biro exigiu boa defesa de Grohe aos 15 minutos. Logo em seguida, a Ponte descontou. Renato Cajá dominou na intermediária e mandou no ângulo, aos 17 minutos. Um chute de curva, que entrará na lista dos gols mais bonitos do Campeonato.

A Ponte se animou e buscou o empate no lance seguinte. Rodinei recebeu com liberdade e bateu cruzado. Dentro da área, Rildo fez o desviou para o fundo das redes.

Com a igualdade, o equilíbrio voltou a tomar conta da partida. Assustado com a reação relâmpago do adversário, o Grêmio saiu de trás, mas não conseguiu penetrar na defesa através do toque de bola. Aproveitou de novo a bola parada para voltar a ficar na frente. Aos 33 minutos, Douglas cobrou falta em direção à área e o lateral Matias Rodríguez finalizou duas vezes para marcar.

No final da partida, a Ponte pressionou, deu trabalho e empatou no último lance. Diego Oliveira, estreante, aproveitou rebote de Grohe, após chute de Renato Cajá e guardou.

O Grêmio volta a campo contra o Coritiba, no próximo sábado, 18h30, no Couto Pereira, em Curitiba. Já Ponte Preta entra em campo no domingo contra o São Paulo, às 18h30, no Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas.

FICHA TÉCNICA:

GRÊMIO 3 X 3 PONTE PRETA

GRÊMIO – Marcelo Grohe; Galhardo (Matías Rodríguez), Pedro Geromel, Rhodolfo e Marcelo Oliveira; Walace, Maicon, Giuliano (Douglas), Lincoln (Everton) e Luan; Yuri Mamute. Técnico – Luiz Felipe Scolari.

PONTE PRETA – Marcelo Lomba, Rodnei, Tiago Alves, Pablo, Gilson, Fernando Bob, Josimar (Juninho), Paulinho (Diego Oliveira), Renato Cajá, Rildo (Felipe Azevedo) e Biro Biro. Técnico – Guto Ferreira.

GOLS – Yuri Mamute, aos 24 do primeiro tempo; Yuri Mamute, aos 8, Renato Cajá, aos 16, Rildo, aos 18, Matías Rodríguez, aos 32, e Diogo Oliveira, aos 49 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO – Héber Roberto Lopes.

CARTÕES AMARELOS – Rafael Galhardo, Walace e Yuri Mamute (Grêmio); Tiago Alves, Josimar, Biro Biro, Renato Cajá e Rildo (Ponte Preta)

CARTÃO VERMELHO – Tiago Alves (Ponte Preta)

RENDA – R$ 378.586,00.

PÚBLICO – 11.920 pagantes (13.164 total).

LOCAL – Arena do Grêmio, em Porto Alegre (RS).