Os jogadores evitam falar sobre o assunto, mas a eliminação contra o Corinthians nas quartas de finais do Campeonato Paulista ainda incomoda o elenco da Ponte Preta. Quase três meses após aquela derrota por 1 a 0, que teve um gol de Renato Cajá mal anulado, o time de Campinas espera que a história seja outra no reencontro entre os dois alvinegros, que se enfrentam nesta quinta-feira, às 19h30, no estádio Itaquerão, em São Paulo, pela 10.ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Titular naquele jogo, o zagueiro Pablo deixou evidente que a derrota ainda atormenta o grupo. “Infelizmente, teve aquele erro da arbitragem que nos prejudicou bastante. Espero que desta vez não se repita”, enfatizou.

Além do reencontro, a partida também terá um sabor especial para o técnico Guto Ferreira. Ele completará 100 jogos no comando da Ponte Preta. Nas duas passagens – 2012 a 2013 e a partir de 2014 -, ele tem um aproveitamento de quase 60%. São 50 vitórias, 25 empates e 24 derrotas. “Um time com investimento da Ponte, em 100 jogos, você faz 50 vitórias e 25 empates? É gratificante”, destacou.

Para a partida, o treinador vai promover duas mudanças. O volante Josimar retorna de suspensão e entra no lugar de Vítor Xavier. Enquanto isso, o zagueiro Renato Chaves, que foi revelado pelo Corinthians, ganhou o lugar de Tiago Alves por opção técnica.

Diferentemente daquele time que jogou no Paulistão, a Ponte Preta não conta mais com três volantes. Titular naquela derrota por 1 a 0, o volante Bruno Silva foi para a Chapecoense. A vaga, hoje, é ocupada pelo meia-atacante Felipe Azevedo. Outras caras novas são o goleiro Marcelo Lomba, lateral-esquerdo Gilson e o atacante Diego Oliveira. Este último herdou o lugar de Rildo, que se transferiu, por coincidência, ao time corintiano.