Depois de viver uma semana de isolamento, considerado por parte da imprensa como de censura, a Ponte Preta vai estar completa diante do Goiás, neste domingo, às 11 horas, pela sétima rodada do Campeonato Brasileiro. Invicta e com 12 pontos, o time paulista quer se manter entre os quatro primeiros colocados e terá como reforço a presença de sua torcida, no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas, que não viu as duas vitórias na temporada.

A polêmica decisão tomada pela diretoria em impedir a presença da imprensa e torcedores nos treinos da semana visava evitar comentários sobre eventuais saídas de alguns jogadores. Entre eles o goleiro Marcelo Lomba, o lateral-direito Rodinei, o volante Fernando Bob, além dos meias Biro Biro e Renato Cajá. Todos foram assediados após este início positivo de competição, mas ninguém deixou o clube. E todos vão completar o sétimo jogo pela equipe, o que os impedirá de mudar para outro clube rival do Brasileirão.

“Estou satisfeito com a decisão da diretoria e a posição dos próprios jogadores. Nós temos um grupo unido e, por isso mesmo, os resultados estão entrando bem”, explicou o técnico Guto Ferreira. Sem problema de suspensão ou contusão, vai manter a base titular, armado no esquema 4-3-3. Rildo, afastado por dois jogos por indisciplina, volta a ser relacionado. O atacante, porém, que defendeu o Santos no ano passado, pode até se transferir para o Grêmio.

Esta partida marca o reencontro do time com seus torcedores depois de um mês. Por conta da suspensão aplicada pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) devido a uma confusão em Joinville (SC), pela 35.ª rodada da Série B do ano passado, o clube venceu São Paulo, por 1 a 0, e Chapecoense, por 3 a 1, com os portões fechados. O último jogo com a presença de público foi no dia 13 de maio, quando a Ponte Preta goleou o Moto Club-MA por 4 a 1, pela segunda fase da Copa do Brasil.