Uma semana após conseguir a classificação para a Copa de 2014, com a vitória sobre a Suécia na repescagem das Eliminatórias Europeias, a seleção portuguesa já negocia para ficar hospedada em Campinas, no interior de São Paulo, durante a disputa do Mundial no Brasil. Se o acerto for concretizado, Portugal treinaria no Estádio Moisés Lucarelli, da Ponte Preta, e ficaria no luxuoso hotel Royal Palm Plaza.

Dois fatores influenciam a possível escolha de Portugal. Um deles é a localização estratégica de Campinas, que fica a cerca de 100km de São Paulo e está cercada por uma boa malha viária, com fácil acesso para cidades como Rio, Belo Horizonte, Brasília e Curitiba (que serão sede de jogos). Além disso, o município dispõe de um aeroporto internacional, Viracopos – o trajeto até o hotel e o estádio leva menos de 30 minutos.

Outro ponto que facilitou as negociações foi o fato de que o proprietário do Royal Palm é o empresário português radicado em Campinas Armindo Dias, de 82 anos – ele é dono do grupo Arcel, conglomerado da área de hotelaria. Mas ainda restam alguns detalhes para serem acertados, como a privacidade que a seleção do astro Cristiano Ronaldo teria para treinar no Moisés Lucarelli, estádio que é cercado por alguns prédios.

A confirmação, porém, depende do sorteio dos grupos da Copa, que será realizado no dia 6 de dezembro, na Costa do Sauipe (BA). A seleção portuguesa ainda precisa conhecer as cidades em que irá jogar na primeira fase do Mundial para, então, definir se a melhor opção é mesmo ficar hospedada em Campinas.