A Portuguesa, enfim, desencantou no Campeonato Brasileiro. Neste domingo à tarde, no Canindé, conseguiu a sua primeira vitória na temporada ao bater o Internacional, por 3 a 1, de virada, pela quinta rodada. Com cinco pontos, a Lusa passa a freqüentar uma posição intermediária na tabela, enquanto o time gaúcho, com quatro pontos, fica na zona de rebaixamento.

O clima de insegurança que reinava nos corredores do Canindé antes do jogo aumentou logo aos oito minutos, quando o time gaúcho abriu o placar. E numa jogada manjada: Alex cobrou a falta pelo alto e Nilmar se antecipou no primeiro pau para desviar de cabeça. Esta desvantagem gerou nervosismo nos jogadores da Lusa, que erravam muitos passes e não chegavam com perigo ao gol adversário.

A única chance real para o empate aconteceu aos 25 minutos, numa cobrança de falta na frente da grande área. Christian bateu bem, a bola passou a barreira e tocou na trave esquerda de Renan. Perseguido pela torcida, Christian colocou as mãos nos ouvidos, como se não escutasse os xingamentos. No intervalo, não apenas ele, mas todos os jogadores e até o técnico Vágner Benazzi desceram para os vestiários sob vaias.

Na volta para o segundo tempo, Christian nem apareceu. Ele cedeu seu lugar para Washington. E a troca deu resultado rápido. No seu primeiro lance, o atacante empatou, meio sem querer, é verdade. Patrício cobrou o escanteio, o goleiro Renan saiu mal e a bola tocou nas pernas de Washington. A bola ainda bateu no pé da trave antes de entrar, no primeiro minuto.

O atacante foi comemorar o gol junto ao técnico Vágner Benazzi e ao banco de reservas. Mesmo assim, um pequeno grupo de torcedores xingava o técnico, que recebeu o apoio da maioria da torcida que gritou seu nome em coro. Os ânimos serenaram, de vez aos 12 minutos, quando saiu o segundo gol. Patrício cobrou falta pelo lado direito e Bruno Rodrigo apareceu na pequena área para testar firme. Lusa na frente.

A tranqüilidade aumentou com o terceiro gol, aos 20 minutos, com Diogo batendo pênalti, no meio do gol. A falta tinha sido cometida por Ricardo Lopes sobre Washington. A ordem, então, era não esmorecer para evitar surpresas desagradáveis como na primeira rodada, quando a Portuguesa abriu 5 a 2 sobre o Figueirense e sofreu o empate no final. Gato escaldado tem medo de água fria. A Lusa se reforçou com as entradas dos descansados Carlos Alberto e Wilton Goiano, enquanto aos 44 minutos o Inter perdeu o meia Alex, expulso por cometer falta violenta.

Na sexta rodada, a Portuguesa, de novo, vai jogar em casa, diante do Atlético-PR, sábado, às 16 horas. NO mesmo dia e horário, o Inter vai receber o Botafogo, no Beira Rio.