Um jantar nesta segunda-feira (25), num sofisticado restaurante de Londres, selou a paz entre o presidente do Corinthians, Alberto Dualib, e o empresário iraniano Kia Joorabchian. O mais importante, porém, foi definir que a MSI segue investindo no clube e que os reforços de peso voltarão a chegar ao Parque São Jorge. O empresário israelense Pini Zahavi assumiu ser o investidor, acabando com uma grande incógnita desde a assinatura da parceria no fim de 2004.

"O Corinthians voltará a ser o maior clube do País, como foi em 2005", prometeu Kia Joorabchian, em conversa por telefone com o vice-presidente de marketing corintiano Jorge Kalil. "Muitos clubes do Brasil nos procuraram, mas sempre demos preferência ao Corinthians", seguiu o iraniano, que seguirá administrando a MSI nos próximos meses de Londres – tem casamento marcado para o segundo semestre, na capital inglesa.

Era o trunfo que Dualib precisava antes da reunião do Conselho Deliberativo em que fará a prestação de contas de 2006, quinta-feira. O dirigente, após 50 dias na capital inglesa, diz ter conseguido fundos para suprir as dívidas – cerca de R$ 73 milhões -, e montar uma grande equipe. Deve desembarcar na quinta-feira com os US$ 10 milhões que cobrava desde o ano passado e com mais uma boa quantia para, enfim, "trazer os reforços de peso".

Amanhã, a comitiva da oposição, liderada por Andres Sanches, que foi no domingo à noite para Londres, se reúne com Kia e os investidores da MSI. Querem saber das reais intenções da parceria e sobre as atividades de Dualib na Europa.