O presidente da Honda, Takeo Fukui, pediu desculpas ao piloto Jenson Button nesta sexta-feira (5). O inglês tinha contrato assinado com a equipe para 2009 e, com o anúncio de que a montadora deixará a Fórmula 1, está desempregado.

“É realmente uma pena e eu sinto muito por Jenson Button. Não tivemos escolha devido às condições financeiras”, explicou Fukui, responsável pelo comunicado que confirmou a saída da fabricante do Mundial.

A ausência da Honda na Fórmula 1 não muda apenas o destino de Button. Bruno Senna, que era favorito à outra vaga na escuderia, também foi pego de surpresa e agora procura vaga na Toro Rosso ou na Force India como titular.

Outro afetado diretamente pela notícia é Rubens Barrichello, que ainda tinha esperanças de continuar na equipe. Agora, com o mercado praticamente fechado, o veterano deve encerrar a carreira na Fórmula 1. Lucas di Grassi, que também testou pela equipe, já procura opções para correr na GP2, Fórmula Indy, DTM (campeonato alemão de Turismo) ou na Le Mans Series.