Paulo Campos teve seu cargo ameaçado
durante a semana, mas ontem recebeu
mão forte dos cartolas do Paraná Clube
para continuar o trabalho.

Paulo Campos é o cara. O presidente José Carlos de Miranda descartou qualquer possibilidade de mudança no comando técnico do Paraná Clube. “A palavra final é sempre a minha”, disparou o dirigente, avalizando todo o trabalho desenvolvido pelo treinador nas dez rodadas iniciais do Brasileirão. Além de dar força a Paulo Campos e demais integrantes da comissão técnica, o presidente reconheceu os equívocos da diretoria, que ainda não conseguiu oferecer ao técnico o time idealizado antes da largada do campeonato.

“O Canindé não chegou. E alguns dos reforços ainda estão se recuperando de lesões. Então, não vou transferir responsabilidade ao técnico”, confirmou Miranda. O presidente reconhece que o grupo ainda precisa de ajustes e alguns detalhes foram conversados ontem à noite, em reunião com as presenças de Miranda, do vice de futebol José Domingos e do empresário Sérgio Malucelli. “Já temos um grupo muito numeroso. Como o Canindé deve chegar nos próximos dias e ainda precisamos de mais uns dois jogadores, os cortes serão inevitáveis”, explicou.

Miranda garante que o “incêndio” foi apagado. Na semana passada, alguns dirigentes se manifestaram contra a permanência de Paulo Campos. “Posso falar daquilo que vejo. Por isso, tenho ido a alguns treinos e aos jogos”, disse. “Também tenho levado outros vices nas viagens. Acompanhamos as palestras e não vejo nada de errado no trabalho que está sendo desenvolvido”. O presidente assegurou que só terá condição de questionar a atuação do treinador no momento em que o Paraná estiver jogando com todos os titulares.

Paulo Campos reafirmou o que dissera antes do jogo frente ao Vasco da Gama. “Confio no meu trabalho”, resumiu o treinador. Na sua análise, a campanha é regular. “Jogamos frente a clubes de tradição e com um bom aproveitamento. Vencemos Santos, Flamengo e Cruzeiro. Empatamos com São Paulo e Vasco, fora de casa”, lembrou. “É preciso dar tempo para que este grupo consiga mais maturidade, pois temos um longo caminho pela frente.”

Alex Silva, nova opção para a lateral

O lateral-direito Alex Silva foi oficialmente apresentado ontem à tarde. Sua contratação foi avalizada por Geninho, técnico do Vasco da Gama, que trabalhou com o jogador no Campeonato Carioca. A empresa inglesa Primer Sport detém os direitos federativos do atleta, que assinou contrato de um ano com o Paraná. O clube terá um percentual – não revelado – de qualquer transação envolvendo o jogador.

Com apenas 22 anos, Alex Silva já passou por Vitória, Internacional, Madureira e Vasco da Gama. A transação – como a Tribuna antecipou – vinha se desenrolando há alguns dias e agora o jogador busca recuperar a melhor forma física. “Estou parado há seis semanas, mas isso não será problema. Precisando, vou na base da superação”, avisou. “Gostei muito do que vi, pois o grupo foi muito receptivo e não vejo a hora de estrear.”

No ano passado, Alex Silva enfrentou Atlético e Coritiba pelo Brasileirão. “Fui muito bem nesses jogos”, lembra. Quando Mauro Galvão assumiu o comando do Vasco, ele passou a ser titular da posição. Depois do Carioca – onde disputou quatro jogos – ele rescindiu contrato e agora tem a oportunidade de disputar a Série A em um novo centro. “Estou muito feliz e prometo empenho para brigar pela vaga. Não pretendo apenas fazer parte do grupo, mas conquistar o meu espaço.”

Esta pode ser a primeira transação entre Paraná Clube e a empresa Primer Sport. O diretor executivo Francesco Arruda confirmou que o caminho está aberto para que uma parceria entre o Tricolor e um forte clube europeu. Não citou qual seria este clube, possivelmente do futebol inglês. A empresa mantém bom relacionamento com o diretor de futebol Durval Lara Ribeiro e com o empresário Sérgio Malucelli.