O presidente do São Paulo, Carlos Miguel Aidar, acrescentou na noite desta quarta-feira ainda mais opções à lista de possíveis técnicos do time. Muricy Ramalho deixou o cargo no começo da semana e enquanto a diretoria admite interesse em contar com Vanderlei Luxemburgo, Abel Braga e estrangeiros, o mandatário deixou no ar a possibilidade de efetivar até mesmo o interino, o auxiliar Milton Cruz.

O então coordenador técnico de Muricy é no momento considerado interino. Mas pode ser promovido caso a diretoria não encontre um nome considerado ideal. “Gostaria muito de ver o Milton em definitivo, seguro, no posto que vem exercendo. Pedi a ele que se desempenhasse ao máximo, que ele mostrasse que é capaz de dirigir o São Paulo. Por que não pode ser o técnico?”, afirmou o presidente ao chegar ao estádio do Morumbi para o jogo contra a Portuguesa, nesta noite.

Aidar confirmou ainda que trabalha com a hipótese de trazer dois argentinos. Alejandro Sabella, ex-técnico da seleção do país, é uma das possibilidades e a outra é Jorge Sampaoli, atual treinador do Chile. “Queremos alguém que traga um pouco de conhecimento científico, experiência internacional, mesmo que não seja estrangeiro”, desconversou o presidente, que exige um treinador com perfil de liderança e que consiga transmitir experiência.

A pendência na troca de técnico do São Paulo deixa incerto também a permanência de membros de toda comissão técnica. Alguns treinadores só aceitam trabalhar caso possam levar para o novo clube profissionais de confiança como preparadores físicos, por exemplo. Isso pode implicar ao clube do Morumbi a necessidade de trocar toda a atual equipe, incluindo até mesmo o interino Milton Cruz. “Vai depender do novo treinador, se ele vier”, disse. “O São Paulo está sendo disputado pelos treinadores”, acrescentou.

A expectativa pelo novo treinador do clube trouxe um problema para Aidar nesta quarta-feira. Um blog divulgou o número do telefone do dirigente, que contou ter recebido entre 3 mil e 4 mil mensagens de torcedores sobre a procura de um novo comandante. O presidente prometeu que vai acionar a Justiça contra o responsável pela publicação além de trocar de número.