O Tribunal de Contas da União (TCU) encontrou indícios de sobrepreço nas obras de reforma do estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, palco da final da Copa do Mundo de 2014, depois de analisar por dois meses o projeto executivo. Após auditoria do tribunal, o governo estadual teve que reduzir em cerca de R$ 97 milhões o orçamento final do estádio. O custo, então, passou de R$ 956,7 milhões para R$ 859,4 milhões.

A obra foi licitada, em junho de 2010, por R$ 705 milhões, mas depois o orçamento saltou para R$ 956,7 milhões por causa de problema na cobertura do estádio, que deveria ser demolida. Durante o processo de consolidação e entrega da documentação ao TCU, o governo estadual alterou o total orçado para R$ 931,8 milhões – redução de R$ 24,9 milhões. Mesmo assim, o tribunal, com auxílio da Controladoria-Geral da União (CGU), identificou indícios de sobrepreço de R$ 163 milhões.

Segundo o relator dos processos da Copa no TCU, ministro Valmir Campelo, houve intensa negociação com a área técnica do governo estadual e o orçamento final da obra caiu para R$ 859,4 milhões. Assim, Campelo informou que não há impedimento para o repasse do BNDES, no valor de R$ 400 milhões, para a reforma do estádio.