O Paraná Clube tem hoje mais uma ?prova de fogo? na luta pelo resgate de sua imagem no cenário nacional. Contra o Coritiba e um tabu de doze anos – desde 1996 não vence o rival no Couto Pereira – tenta encaminhar a sua classificação para a final do Paranaense. Com a vantagem de decidir em casa (o jogo da volta será na Vila Capanema, no dia 20), o Tricolor precisa emplacar ao menos uma vitória nesses confrontos, pois o adversário pode até jogar por dois empates.

Situação que pode ser decisiva na opção final do técnico Paulo Bonamigo. Durante a sua primeira semana ?cheia? para treinamentos, o treinador trabalhou intensamente com dois atacantes, dando a dica de que pretende escalar Joelson e Fábio Luís lado a lado. ?Atacar é importante, mas sem nos descuidarmos da marcação. Em especial no meio-de-campo?, anuncia Bonamigo, sem no entanto descartar a outra alternativa.

O meia Cristian, antes titular, agora é uma carta na manga do técnico paranista.

Com o meia, o Tricolor teria o mesmo perfil tático utilizado ao longo da maioria dos jogos desta temporada, quase um 3-6-1. ?O importante é a ocupação dos espaços. Independente de quem for escalado, a nossa estratégia será a mesma?, assegurou Bonamigo, explicando que na formação com dois atacantes, Joelson jogaria mais recuado. A rigor, a dúvida fica entre Fábio Luís e Cristian. Mas como sacar um centroavante que mandou a bola pras redes nos três últimos jogos em que atuou? ?Não sei se vou começar ou entrar ao longo da partida. O treinador não nos passou nada?, disse o ?Tanque?.

No meio-de-campo, a tendência é que Jumar seja confirmado. O volante – que convive com dores musculares e uma tendinite de joelho -treinou normalmente ontem pela manhã e será reavaliado na concentração. Se vetado, Beto inicia o clássico. ?Estou tranqüilo quanto à essa posição. O Beto treinou bem e é um jogador experiente. Vou esperar até a hora do jogo para ver como estará o Jumar?, disse Bonamigo.

O Paraná prevê um jogo tenso, de muita pegada. Um quadro potencializado pela eliminação do Coritiba na Copa do Brasil. Apesar disso, ninguém imagina que o Tricolor encontrará um adversário em crise. ?Crise? Como pode estar em crise um time que está na semifinal? Isso é brincadeira?, disparou o zagueiro Daniel Marques.

?É decisão, jogo igual, onde é proibido errar?, avisou o xerifão paranista. Daniel Marques não quer nem saber se no meio de semana o Paraná já tem outra decisão, pela Copa do Brasil. ?Vamos viver o hoje. E o hoje é o Coritiba?, arrematou.