Os 18 mil pagantes no último domingo para São Paulo e Corinthians, pelo Campeonato Paulista, foram a menor presença de público em clássicos entre as equipes em encontros no Morumbi nos últimos 11 anos. Até agora o São Paulo jogou cinco vezes como mandante em 2015 (duas delas no Pacaembu) e seria necessário somar o público de todas essas partidas para atingir a lotação máxima do estádio.

A diretoria do São Paulo também demonstrou decepção com o público no último domingo. “Tenho certeza absoluta de que nem se a gente deixasse os portões abertos encheria o Morumbi”, afirmou o vice-presidente de futebol do clube, Ataíde Gil Guerreiro, em entrevista para a TV Gazeta.

A mais recente bilheteria no Morumbi para o Majestoso que ficou abaixo do número registrado no domingo foi em maio de 2004. Na ocasião, 14,8 mil pessoas viram o empate por 1 a 1 pelo Campeonato Brasileiro. Desde então, foram 19 partidas entre os rivais no estádio, por competições como Campeonato Paulista, Brasileirão e Recopa Sul-Americana.

No domingo o São Paulo não conseguiu atrair público apesar da promoção para mulheres. Para as integrantes do programa de sócio-torcedor, a entrada para um dos setores no Morumbi foi gratuita. Ainda era possível levar um acompanhante, que pagaria 50% do preço normal. Para o jogo, a entrada mais barata era R$ 60.

Enquanto os rivais Corinthians e Palmeiras têm média de público de 27 mil e 26 mil, respectivamente em jogos do Paulistão, o São Paulo está bem atrás. São cerca de 10 mil por partida. “Estamos vendo melhora de público do Palmeiras e do Corinthians, mas pela novidade de ter o estádio. Hoje, o incentivo é ver o estádio novo”, comentou o dirigente são-paulino.