A decisão de punir jogadores por imagens captadas pela televisão não preocupou os palmeirenses, que deverão ter um número maior de partidas transmitidas na série B do que muitos dos adversários. Ao contrário, a notícia animou vários jogadores, pois a segunda divisão tem fama de ser violenta. Eles acreditam que, com o novo recurso, os rivais não apelarão tanto para jogadas mais duras ou para o antijogo.

“A gente sabe que na série B do brasileiro os jogos costumam ser mais violentos. Acho que isso (a punição disciplinar por imagens da TV) pode ser uma garantia a mais para o jogador de futebol”, avalia o meia Pedrinho, que está se recuperando de contusão. O atacante Thiago Gentil concorda. “Acho que a novidade é preocupante para aqueles que não entram em campo pensando exclusivamente em jogar bola e boa para um time mais técnico, como o Palmeiras.”

O técnico Jair Picerni foi mais comedido. “Até acho que pode haver punição a partir de imagens de TV. Mas o jogador tem de ter o direito de se defender.” Como ex-jogador, o treinador palmeirense diz que passou por “diversas situações em que um determinado ângulo de imagem deu impressão errada de uma jogada”.

Nem todos gostaram da novidade. O ex-árbitro Oscar Roberto Godoi, por exemplo, acha que a utilização das câmeras tira a importância das decisões do juiz. Godoi também criticou a atitude de Luiz Zveiter de punir preventivamente Rogério Ceni.