Parece até ter sido programado. Mas os jogos do grupo A do Paranaense ficaram ?divididos? nesta rodada da Quarta-Feira de Cinzas. Enquanto a turma que luta pela classificação joga à tarde, os dois que brigam para fugir do rebaixamento se enfrentam à noite: às 20h30 no Anilado, o Francisco Beltrão recebe o Nacional.

E se o Nacional, com 11 pontos, anda desesperado, o Beltrão, com apenas sete, vive um momento trágico – precisa vencer de qualquer jeito e ainda contar com um tropeço da equipe de Rolândia na última rodada da primeira fase. Um simples empate arrancado pelo Nacional, hoje, rebaixa o time da casa com uma rodada de antecedência.

Daí as atitudes vistas no empate (1 a 1) do Chico Beltrão com o Cianorte – que seria, em tese, um bom resultado. Alexandre, que estava no banco de reservas, foi excluído pela arbitragem no 1.º tempo. E Baby foi expulso no momento em que seria substituído, pois saiu irritado e jogou a camisa no chão. Assim, o triunvirato formado pelo supervisor Natalino de Freitas, o preparador físico Alcione Vaz e o volante Wilson terá que fazer várias mudanças na equipe.

Já o Nacional ganhou uma sobrevida com a vitória (2 a 1) sobre o Galo Maringá. Só que o ambiente não é tão animador. ?Estou preocupado porque é um jogo decisivo e precisamos de pelo menos um ponto para sairmos dessa situação e tirar esse peso das nossas costas?, comentou o técnico Dirceu Mattos. Ele não contará com cinco jogadores suspensos: os volantes Gil e Anderson, o lateral-esquerdo Igor, o meia Juninho e o atacante Montemor.

Durante o dia

As partidas da tarde (às 15h30) tem interesses mais ?nobres?. No Emílio Gomes, o Iraty, 15 pontos, joga sua cartada decisiva contra o Cianorte, 19 pontos. Não há outra necessidade para o Azulão que não a vitória – um empate elimina o time da Pérola do Sul e praticamente assegura a vaga do Leão do Vale do Ivaí. Por isso, o técnico Val de Mello deve colocar uma equipe mais agressiva. De outro lado, Gílson Kleina quer uma resposta positiva dos jogadores do Cianorte, que decepcionaram no sábado ao empatarem com o Beltrão. Apesar disso, ele não deve promover alterações – com isso, permanece Bruno Batata no lugar de Sinval.

A partida do Nelson Medrado Dias, em Paranaguá, tem o mesmo tom complicado para o Galo Maringá – com a diferença que este precisa ganhar fora de casa. De resto, tudo igual: assim como o Iraty, o Galo, 14 pontos, tem que ganhar para manter as chances de classificação. O Rio Branco, com 19 pontos, está quase garantido. Para vencer, o técnico da equipe de Maringá, Ivair Cenci, promete manter o esquema ofensivo, mas o volante Kullman vai ocupar a vaga de Renatinho. No Rio Branco, Itamar Bernardes poderá montar a equipe com seus quatro principais jogadores – Baiano, Ratinho, Negreiros e Neizinho.

Toledo joga suas esperanças em casa

O impossível já não é mais improvável. De virtualmente rebaixado, o Toledo, oito pontos, passou a ter esperanças – ainda pequenas, é verdade – de conseguir se manter na primeira divisão do Campeonato Paranaense. Após vencer (3 a 0) o União em casa e surpreender (3 a 2) o Roma em Apucarana, o Toledo pode continuar sonhando em abandonar a lanterna do Grupo B se vencer o Paranavaí, às 20h30, no 14 de Dezembro. Só que um simples empate – ou uma vitória do União Bandeirante sobre o Londrina – já acaba com a passagem do clube pela Série Ouro.

A contratação do técnico Alfinete foi um sopro de vida para o Toledo. Após a chegada dele, o time conquistou sete pontos em três rodadas, diminuindo a diferença para o vice-lanterna União, com 12 pontos. A situação só não é melhor porque o União conseguiu a façanha de vencer a Adap em Campo Mourão no último domingo. Na partida de hoje, a vantagem do Toledo enfrentar um rival que não tem mais chances de classificação no Estadual. O Paranavaí tem 13 pontos e não aspira mais nada na competição. Após perder (2 a 1) em casa para o Paraná, o Paranavaí ficou sem chances de classificação. Mantendo seu estilo de trabalho, Alfinete não fará alterações na equipe que venceu o Roma.

Rivalidade

O outro jogo tem tons mais fortes. Primeiro, pela rivalidade entre União e Londrina, 20 pontos ganhos, que se enfrentam às 16 horas no Estádio Luiz Meneghel. Segundo, pela importância da partida para o União – que precisa vencer para fugir definitivamente da degola. Depois, pela necessidade de resultado do Londrina, que com uma vitória se classifica para as quartas-de-final.

O elenco do União está empolgado após a vitória (1 a 0) sobre a Adap – para o técnico Orlando Bianchini, a confirmação de que o time poderia ir um pouco mais longe caso mantivesse uma base durante a primeira fase. O retorno de sete titulares que não estavam no jogo com o Toledo foi decisivo para uma das ?zebras? da rodada de Carnaval. O time não terá alterações.

Já o Londrina tentará se recuperar da derrota (2 a 1) para o Coritiba. O técnico Vica espera mais atitude dos jogadores, e conta com o retorno de Andrezinho, que cumpriu suspensão automática no jogo do Couto Pereira. Além dele, outra possível novidade do time deve ser o atacante Bruno, que voltou após longo tempo contundido – Donizete e Eduardo estão ameaçados de perder a vaga.