O Coritiba venceu o Atlético por 3×0, neste domingo (30), na Arena da Baixada, e encaminhou o título do Campeonato Paranaense. Muito por conta das atuações dos jogadores, de ambos os times. Confira as notas dadas pela equipe da Tribuna no Atletiba:

Atlético

Weverton

Cristian Toledo – 5 – Falhou no segundo gol do Coritiba.
Luiz Ferraz – 5 – Falhou no segundo gol do Coritiba marcado por Iago, mas de resto não comprometeu.
Ricardo Brejinski – 5 – Saiu mal no lance do segundo gol e não fez nenhuma defesa difícil.

Gustavo Cascardo

Cristian Toledo – 5 – Sumiu diante da marcação adversária.
Luiz Ferraz – 4,5 – Pouco atacou e deixou a desejar na marcação.
Ricardo Brejinski – 5 – Se perdeu na marcação e deu muito espaço aos atacantes do Coxa. O segundo gol saiu em cima dele.

Paulo André

Cristian Toledo – 4,5 – Sofreu com Kléber e com a falta de Thiago Heleno.
Luiz Ferraz – 5,5 – Apesar dos gols sofridos, foi o jogador mais lúcido da defesa.
Ricardo Brejinski – 3,5 – Um dos piores em campo. Perdeu na corrida para os adversários e se perdeu na marcação de dois gols.

(Zé Ivaldo)

Cristian Toledo – sem nota
Luiz Ferraz – sem nota
Ricardo Brejinski – sem nota

Wanderson

Cristian Toledo – 4 – Muito abaixo do já jogou, fez a torcida sentir saudade de Thiago Heleno.
Luiz Ferraz – 3,5 – Falhou demais e não substituiu a altura o zagueiro Thiago Heleno.
Ricardo Brejinski – 5,5 – Foi melhor que Paulo André, mas também sofreu muito com Kléber e cia.

Sidcley

Cristian Toledo – 5 – Discreto, pouco apareceu.
Luiz Ferraz – 5 – Fez um bom primeiro tempo, mas caiu de rendimento junto com o time.
Ricardo Brejinski – 5,5 – Fechou bem os espaços na defesa, obrigando o Coxa a jogar pelo outro lado, mas pouco apoiou o ataque.

Deivid

Cristian Toledo – 4,5 – Ficou perdido na marcação, sem saber quem acompanhar.
Luiz Ferraz – 4,5 – Não conseguiu marcar o meio de campo do Coritiba e falhou no segundo gol de Iago.
Ricardo Brejinski – 4,5 – Sumido em campo, tentou achar espaços para se movimentar, mas precisou ficar preso na marcação.

Matheus Rossetto

Cristian Toledo – 5,5 – Foi o mais lúcido do meio-campo do Atlético. Tinha espaço, mas não foi aproveitado.
Luiz Ferraz – 5 – Fez um primeiro tempo ruim, melhorou no segundo quando foi adiantado, mas não repetiu as últimas boas atuações.
Ricardo Brejinski – 5,5 – Foi o melhor do Furacão. Se movimentou, criou jogadas, mas diante da má atuação da equipe ficou abaixo do esperado.

João Pedro

Cristian Toledo – 5,5 – Colocou uma bola na trave logo no início do jogo. Saiu por um choque com Anderson.
Luiz Ferraz – 5,5 – Pouco criou quando esteve em campo e foi bem marcado pelo Coritiba.
Ricardo Brejinski – 5 – Vinha bem e criou a melhor chance do Atlético, parando no travessão. Mas precisou deixar o campo para atendimento médico.

(Douglas Coutinho)

Cristian Toledo – 5,5 – Correu muito, mostrou indignação, mas perdeu uma chance inacreditável.
Luiz Ferraz – 5,5 – Entrou bem, perdeu um gol incrível, mas acabou parando na falta de criatividade do Atlético.
Ricardo Brejinski – 5 – Entrou e deu velocidade ao time, apesar de não ter efetivamente criado uma chance de perigo.

Nikão

Cristian Toledo – 4,5 – Vinha sendo o mais regular do Atlético, mas foi bem abaixo no clássico.
Luiz Ferraz – 4 – Aceitou demais a boa marcação dos volantes do Coritiba e não desequilibrou como em outros jogos.
Ricardo Brejinski – 4 – O cansaço parece ter batido. Nikão não conseguiu criar uma boa jogada e ficou preso na marcação coxa-branca.

(Eduardo da Silva)

Cristian Toledo – 5 – Até começou bem o segundo tempo, mas foi sumindo com o passar do jogo.
Luiz Ferraz – 4,5 – Pouco produziu em termos ofensivos e foi mais uma peça nula no ataque rubro-negro.
Ricardo Brejinski – 5,5 – Entrou bem e melhorou o ataque do Atlético, mas o terceiro gol do Coxa logo no começo do segundo tempo impediu qualquer reação.

Felipe Gedoz

Cristian Toledo – 4,5 – Não conseguiu repetir as boas atuações, e o nervosismo o levou a ser expulso.
Luiz Ferraz – 4 – Não foi bem, errou todas as bolas paradas e ainda foi expulso em um lance de infantilidade ao agredir Kléber.
Ricardo Brejinski – 4 – Nervoso, errou bastante e ainda acabou sendo expulso.

Grafite

Cristian Toledo – 5 – É uma vítima do sistema do Atlético, que é um “moedor de centroavantes”. A bola não chega.
Luiz Ferraz – 3,5 – Perdeu todas as disputas de bola e atrapalhou em alguns momentos o ataque atleticano.
Ricardo Brejinski – 5 – Foi pouco acionado, muito por conta da baixa atuação dos armadores. Quando a bola chegou, criou dois lances de perigo.

Técnico: Paulo Autuori

Cristian Toledo – 3,5 – O discurso foi mais importante para o treinador do que o jogo em si. Deu no que deu.
Luiz Ferraz – 4,5 – Foi engolido pelo esquema montado pelo técnico Pachequinho e não soube sair das dificuldades impostas pelo rival.
Ricardo Brejinski – 3,5 – Foi surpreendido por Pachequinho e não soube corrigir as falhas da equipe.

Coritiba

Wilson

Cristian Toledo – 7,5 – Fez pelo menos três ótimas defesas. Atuação muito segura.
Luiz Ferraz – 8 – Fez grandes defesas e garantiu o placar, mesmo nos momentos de maior pressão do Atlético.
Ricardo Brejinski – 7,5 – Fez pelo menos três grandes defesas e foi decisivo para a boa vitória do Coritiba.

Rodrigo Ramos

Cristian Toledo – 6,5 – Muito tranquilo, dominou o setor e se arriscou no ataque.
Luiz Ferraz – 6 – Não comprometeu, não subiu muito ao ataque e marcou bem o ataque atleticano.
Ricardo Brejinski – 6 – Taticamente, fechou bem os espaços na defesa, mas não conseguiu fazer muitas trocas de passes.

Werley

Cristian Toledo – 7,5 – “Escolheu” o jogo certo para fazer sua melhor partida pelo Coxa. Foi soberano na defesa e ainda marcou o gol que abriu o caminho da vitória.
Luiz Ferraz – 7 – Bastante eficiente na marcação, sobretudo nas bolas aéreas, o defensor ainda marcou o gol que abriu caminho da goleada alviverde.
Ricardo Brejinski – 7 – Abriu o caminho para a vitória do Coritiba e também foi muito bem na zaga.

Juninho

Cristian Toledo – 6,5 – Ainda sem o ritmo ideal, teve um jogo firme, como sempre.
Luiz Ferraz – 7 – Voltou bem depois de um período no departamento médico e fez um bom jogo.
Ricardo Brejinski – 7 – Voltou bem ao time e foi muito bem, sem sentir a falta de ritmo.

William Matheus

Cristian Toledo – 6,5 – Mais preso à marcação, foi uma das peças mais regulares do Coxa.
Luiz Ferraz – 7,5 – Com fôlego de sobra, marcou muito bem e ainda contribuiu nas investidas no ataque.
Ricardo Brejinski – 6 – Apareceu bem no ataque quando tinha espaços, mas ficou apagado com o jogo passando pelo meio-campo.

Alan Santos

Cristian Toledo – 7,5 – De novo o termômetro do Coxa. Fundamental para o time.
Luiz Ferraz – 7,5 – Até onde agüentou, foi o dono do meio de campo do Coritiba com desarmes pontuais.
Ricardo Brejinski – 6,5 – Firme na marcação, trabalhou bem com Matheus Galdezani e Anderson.

(Tiago Real)

Cristian Toledo – 6 – Manteve o bom nível das últimas atuações.
Luiz Ferraz – 6,5 – Entrou bem e não deixou o ritmo cair no segundo tempo.
Ricardo Brejinski – 5 – Quando entrou, mudou a formação tática do Coritiba, mas foi pouco acionado.

Matheus Galdezani

Cristian Toledo – 7,5 – Controlou o meio-campo com boa marcação e organização de jogo. Um dos melhores do clássico.
Luiz Ferraz – 7,5 – Na marcação, na saída de bola ou em assistência, o jogador foi um dos grandes nomes do Atletiba 371.
Ricardo Brejinski – 7,5 – Dá outro ritmo ao meio-campo coxa-branca. Passes precisos, além de ser uma peça importante mais a frente.

(Jonas)

Cristian Toledo – 6 – Entrou para marcar e fez seu papel.
Luiz Ferraz – 6,5 – Reforçou a marcação do meio de campo do Coritiba e ajudou a segurar o resultado.
Ricardo Brejinski – 5,5 – Entrou para apoiar os zagueiros, mas chamou mais a atenção por uma falta logo que pisou no gramado do que ppr ter muito trabalho.

Anderson

Cristian Toledo – 8 – Grande atuação. Liderou o Coritiba, e no segundo tempo foi perfeito. Fez o que todos esperam dele.
Luiz Ferraz – 8,5 – Foi o cara do jogo. Perfeito taticamente e teve papel fundamental no segundo tempo.
Ricardo Brejinski – 8 – Apesar de jogar em outra função, Anderson não teve dificuldades e foi determinante. Trabalhou pelos lados do campo e no segundo tempo teve em seus pés quase todas as jogadas ofensivas.

Iago

Cristian Toledo – 7,5 – Marcou um golaço e foi muito importante taticamente.
Luiz Ferraz – 7 – Foi mais uma vez iluminado. Fez um belo gol e teve um papel importante na subida dos laterais do Atlético.
Ricardo Brejinski – 7 – Surpresa de Pachequinho, Iago se revezou com Anderson pelos lados do campo, chamou a marcação e ainda fez um golaço.

Henrique Almeida

Cristian Toledo – 6,5 – Ajudou a embaralhar a marcação do Atlético e deu uma assistência precisa para o gol de Kléber.
Luiz Ferraz – 6 – Foi o menos efetivo do ataque do Coritiba, mas deu a assistência para o terceiro gol de Kléber.
Ricardo Brejinski – 5,5 – Apagado em campo, pouco participou de fato do jogo, mas quando apareceu, deu passe açucarado para Kléber marcar.

Kléber

Cristian Toledo – 8 – O personagem do Atletiba. Irritou os atleticanos, venceu o duelo com os zagueiros e enfim marcou seu gol em clássico.
Luiz Ferraz – 8 – Kléber representou o clima do Atletiba. Brigou o jogo todo e marcou seu primeiro gol em Atletibas.
Ricardo Brejinski – 8,5 – Experiente, Kléber irritou os atleticanos, chamou muitas faltas, abriu espaço entre os marcadores e ainda fez um gol, desentancantando contra o Furacão.

(Neto Berola)

Cristian Toledo – 6 – Entrou para agitar o jogo, e quase fez seu gol.
Luiz Ferraz 6 – Entrou muito afobado, mas conseguiu puxar bem os contra-ataques pelo lado esquerdo do campo.
Ricardo Brejinski – 5,5 – Entrou para por velocidade ao Coxa e aproveitar o fato de o adversário estar cansado, mas não não criou muitas chances.

Técnico: Pachequinho

Cristian Toledo – 8,5 – A maior nota do clássico vai para o técnico que não é valorizado dentro do próprio Coxa, mas que dá mostras a cada dia que merece ser efetivado. Foi um show de Pacheco.
Luiz Ferraz – 8 – Pachequinho provou que estudou bem o Atlético e deu uma aula tática na vitória sobre o Atlético.
Ricardo Brejinski – 8,5 – Pachequinho surpreendeu a todos com a formação do Coxa, mas mostrou que sabia o que estava fazendo. Engoliu o Atlético e foi decisivo na boa vitória.

Leia também: Festa geral antes de a bola rolar, mas depois a comemoração ficou só com o Coritiba