O tempo nublado e a temperatura amena, em torno de 18 graus C, foram o cenário perfeito para a penúltima etapa do Circuito de Corridas da Caixa, neste domingo (9), em Curitiba (PR). Como no ano passado, os quenianos dominaram o percurso de 10 quilômetros. Joshua Kiprugut Kemei venceu com o tempo de 30min30s e sua compatriota Jane Katalai Kiyara foi a primeira em 35min04s. Entre os homens, Gladson Barbosa foi o vice-campeão, seguido de Anoé dos Santos Dias, que consolidou a vice-liderança do Ranking CBAt/CAIXA. Maria Zeferina Baldaia também foi a segunda colocada, com a líder do Ranking, Conceição Maria Carvalho de Oliveira, em terceiro.

O queniano disparou na frente logo no primeiro quilômetro. O pelotão dianteiro, com os brasileiros Anoé dos Santos e Gladson Barbosa, tentou acompanhar, mas não conseguiu. Kemei, de 25 anos, está no Brasil desde agosto e já disputou algumas provas. Foi segundo nos 10K da Tribuna, em Santos, e segundo na Meia Maratona de Santo André. Disputa sua última prova no Brasil no início de dezembro, a Volta da Pampulha, antes de voltar para o Quênia. Seu melhor tempo nos 10 quilômetros é 27min48, obtido na Califórnia, Estados Unidos. “Gostei da prova e do percurso com várias subidas. Foi muito bom ganhar em Curitiba”, disse.

Gladson Barbosa disputou sua segunda prova do Circuito em Curitiba e novamente foi vice-campeão. “Antes de Curitiba, só corri na etapa de Ribeirão Preto. No primeiro semestre eu estava tentando obter o índice olímpico para os 3.000 metros com obstáculo e acabei não conseguindo.” Gosta das provas de 10 km do Circuito. “Reúnem os melhores do País e são muito bem organizadas.” Gladson não disputa a última etapa, dia 23, em Brasília – vai correr com a seleção brasileira no Mundial de Ekiden, Japão, dia 24 (prova de revezamento por equipes). Gladson ainda vai correr a Volta da Pampulha, a 10K Pan-Americana e a São Silvestre. “Acredito que vou ganhar uma das três.”

Na prova, Gladson encostou no queniano no primeiro quilômetro e ficou colado até o terceiro. “Depois ele abriu e assumi o segundo lugar no km 6 quando passei o Anoé. Gosto de percursos mais planos, mas a temperatura estava agradável e, por isso, não tive problemas com as subidas.”

A regularidade no Circuito colocou Anoé dos Santos na segunda posição no Ranking, 25 pontos atrás de Giomar Pereira da Silva, que não correu a etapa de Curitiba. Giomar tem 280 pontos e Anoé 255. Curitiba foi a sétima etapa do Circuito que Anoé correu. Ficou em quarto em Campo Grande e foi terceiro nas outras seis – Goiânia, Uberlândia, Ribeirão Preto, São Paulo, Belo Horizonte e Curitiba.

“Para efeito de ranking vale o segundo lugar, pois o queniano por ser estrangeiro não ganha pontos. Por isso, acumulei 26 pontos. Até o fim do ano quero buscar a liderança, pois gosto de provas mais longas, como a Pampulha e a São Silvestre”, explicou. Anoé também correrá a etapa de Brasília do Circuito e a 10K Pan-Americana.

Apesar de gostar de correr em subida, achou o percurso “pesado” e gostaria que o tempo estivesse mais quente – treina no interior de São Paulo, com muito calor. “Mesmo assim fui bem e consegui o objetivo que era somar pontos no Ranking”, afirmou.

Prova Feminina

A queniana Jane abriu vantagem logo após a largada. Maria Zeferina Baldaia forçou, mas não conseguiu encostar. A queniana venceu fácil, com 22 segundos de vantagem. Jane, de 19 anos, chegou ao Brasil esta semana e ficará até a São Silvestre. “Não tive problemas na corrida e gostei do percurso”, explicou a queniana, que treina em Nova Santa Bárbara, no Paraná, ao lado de outros quenianos. Deve correr a Volta da Pampulha, a 10K Pan-Americana e a São Silvestre.

Maria Zeferina, venceu três corridas do Circuito este ano – Uberlândia, Fortaleza e São Paulo. Ainda ficou em terceiro em Ribeirão Preto e foi segunda em Curitiba (primeira, para efeito de Ranking). Os resultados consolidam sua vice-liderança no Ranking – com os 30 pontos ganhos na etapa do Paraná soma agora 247, atrás de Conceição, com 252.

“Tentei acompanhar a queniana a partir do segundo quilômetro. Forcei o ritmo, mas não consegui. Mesmo assim, estou feliz com o segundo lugar que me deixa entre as melhores do ranking, meu objetivo este ano. O percurso de Curitiba é bom e varia. É ótimo correr aqui. Agora vou correr em Brasília, na Pampulha, 10K Pan-Americana e São Silvestre.”

A líder do Ranking CBAt/Caixa ficou em terceiro lugar, mas levou os 26 pontos da segunda colocada por causa da vitória queniana. “Deu tudo certo e este terceiro lugar foi sensacional, pois continuo em primeiro no Ranking. As melhores do Brasil estavam aqui.” Conceição é uma das mais regulares do Circuito. Foi oitava em Uberlândia e depois só teve bons resultados em Fortaleza (terceiro), Ribeirão Preto (segundo), Porto Alegre (primeiro), São Paulo (terceiro) e Curitiba (terceiro).