Foto: Valquir Aureliano
Rafael Santos só treina, mas não tem chance no time.

Existe no Atlético um jogador que compõe o elenco há mais de seis meses e até o momento permanece como um grande desconhecido para a torcida.

Trata-se do zagueiro Rafael Santos, 23 anos. O jogador chegou no início de junho, vindo do Internacional (RS), numa negociação que envolveu o zagueiro Marcão.

Rafael não estava sendo aproveitado no grupo principal do Colorado e, por isso, chegou fora de forma, ainda na época do técnico Oswaldo Alvarez (Vadão). Colocado no grupo B, o atleta se condicionou melhor e, no decorrer do ano, jogou alguns amistosos e jogos-treinos. Entretanto, não conseguiu ganhar a confiança dos treinadores. Passou em branco na era Antônio Lopes e também com Ney Franco. Ou seja, em meio-ano de Furacão, o jogador não conseguiu fazer a sua estréia.

Rafael pode passear calmamente por Curitiba que ninguém o reconhecerá, pois devido a política adotada pelo rubro-negro em 2007 – de apresentar o jogador somente depois de ter atuado -, a fisionomia do zagueiro só é conhecida através das figurinhas dos atletas convocados para os jogos que é exposta à imprensa pela assessoria do clube. Pessoalmente, nenhum setorista do Atlético sequer conversou com o jogador.

Caso semelhante ao dele aconteceu com Taílson, que só não passou despercebido em 2007 porque ganhou a chance de iniciar a partida contra o São Paulo, na última rodada do campeonato, e assim foi apresentado à mídia.

Incógnita

Rafael foi convocado pela primeira vez para integrar o grupo e concentrar com o grupo pelo técnico Antônio Lopes, em 29 de junho. Depois entrou no ostracismo e só retornou com Ney Franco, nas três últimas partidas do ano, contra Sport, Flamengo e São Paulo. Entretanto, ele não jogou um minuto sequer. O não-aproveitamento do atleta também se deve ao grande número de zagueiros, que o clube dispõe.

Rafael é um jogador jovem e que despontou na Ponte Preta (SP). Foi adquirido pelo Internacional (RS), mas não teve chances. Aportou no Atlético e espera a oportunidade de mostrar seu futebol em 2008, mas a sua permanência no rubro-negro ainda é uma incógnita.

Se a concorrência para jogar na zaga do Furacão já era grande para Rafael, na semana passada, ela aumentou. A diretoria anunciou a contratação de Leandro, mais um zagueiro que quer mostrar serviço em 2008. Assim o Atlético conta com nove zagueiros e, devido ao inchaço, devem haver dispensas. Estão à disposição de Ney Franco: Rhodolfo, Antônio Carlos, Danilo, Rogério Correa, Alex Fraga, Gustavo, João Leonardo, Rafael Santos e Leonardo. 

Alessandro também pifou

Outro caso inusitado no Atlético em 2007 coube ao lateral-esquerdo Alessandro Viana, 25 anos. Diante da necessidade de contratar um especialista para a posição o rubro-negro buscou o jogador na Austrália, onde ele defendia o Melbourne Victory. Alessandro chegou no início de agosto, treinou no CT do Caju sob o comando de Antônio Lopes e fez sua estréia no 2.º tempo da partida contra o Flamengo, na penúltima apresentação do 1.º turno. Depois não foi mais aproveitado e acabou emprestado ao Guanabara (RJ), antes do término do Brasileirão. Com isso, o Furacão se viu obrigado a procurar outro lateral-esquerdo e contratou Piauí. Na próxima temporada (2008), Alessandro já acertou com o Vitória (BA). (CB)