Com “saudades” de balançar as redes, o meia Rafinha sabe que terá um duelo especial com Bruno Mineiro pela artilharia do Paranaense no clássico desta noite. Junto com jogadores de outras equipes, ele estão entre os primeiros colocados entre os goleadores do Estadual, mas despontam na busca pela “chuteira de ouro” porque tanto Coritiba quanto o Atlético estarão na próxima fase e disputarão jogo a jogo o título da competição. “Estou trabalhando, faz alguns jogos que não faço gols. Já estou com saudades. Estou com vontade de voltar a marcar. Espero que já possa ser neste clássico”, diz sorrindo o atacante Coxa.

Rafinhal revela que fica ansioso. Mas isso não deverá atrapalhar quando estiver no gramado da Baixada. “Isso até trabalha um pouco mais. Estou tendo as oportunidades de marcar e não estou fazendo. Mas espero que nas próximas partidas as oportunidades possam aparecer e possa estar bem para fazer os gols”, projeta o artilheiro alviverde. Na sua avaliação, o Atletiba pode ser o jogo ideal para isso. “São dois times que vão querer jogar. Temos uma certa dificuldade quando jogamos contra um time menor, que pega uma marcação individual. No clássico todo mundo quer jogar, e pra quem joga na frente fica mais fácil”, avalia.

Será mesmo? Pelo sim, pelo não, o meia pede um melhor rendimento da equipe contra o Rubro-Negro já que no clássico contra o Paraná o Coritiba ficou devendo. “No primeiro clássico que tive pelo Coritiba fui derrotado para o Paraná. Então esperamos fazer um jogo melhor do que foi contra o Paraná para conseguirmos a vitória”, aponta.

E qual a receita? “No começo do jogo sabemos que iremos sofrer um pouco de pressão. Vamos jogar fora de casa, temos a vantagem (quatro pontos na frente) e eles terão que vir para cima da gente para buscar a vitória então temos que ter tranquilidade no começo do jogo para explorar os contra-ataques”, avisa o meia.

Baixaria, não

O que Rafinha não quer ver é reprises de vandalismos na Baixada. “Ficamos um pouco chateado porque isso não acontece só aqui. Tem confusão em São Paulo, no Rio e quando tem um clássico desse tamanho a torcida fica um pouco exaltada. Acredito que neste clássico não haverá problema e espero que a torcida compareça para torcer e para incentivar e não tenha nenhuma confusão”, finaliza o camisa 7. Até aqui, ele tem cinco gols anotados, um em cada uma das cinco primeiras rodadas. Depois, cumpriu suspensões e viu Ariel e Marcos Aurelio se revezarem na ida às redes.