Divulgação

Foi realizado no dia 11 de novembro, o Phantom de Regularidade, pelo Iate Clube de Pontal do Sul, tendo como patrocinadores a MM Náutica, Phantom e Schrefer Yachts.
Contando com 45 barcos inscritos, e divididos em 2 categorias a Especial (pilotos com nível comprovado de experiência), e Estreantes (pilotos que nunca haviam participado de nenhuma prova de rally), contando com a ajuda do tempo o Rally foi o sucesso do litoral no início do feriado.

O Rally de Regularidade foi realizado na Baia de Paranaguá, passando pela da Ilha da Galheta, Ilha do Mel, Ilha das cobras até Antonina, voltando pelo Porto de Paranaguá e terminando em Pontal. Como seu nome já diz, o rally de regularidade, ganha a embarcação que for mais regular, isto é, passar dentro do seu horário determinado nos Postos de Cronometragem (PC), que este ano, foram em número de 12, dentro de 53 trechos cronometrados.

A largada do primeiro barco aconteceu às 10 horas do Canal de Pontal, com um percurso de aproximadamente 50 milhas náuticas, onde cada embarcação largava a cada minuto sucessivamente, com uma duração de aproximadamente 3 horas.
Às 21 horas, aconteceu a entrega de prêmios no Iate Clube de Pontal do Sul, onde na categoria Especial foi campeã o barco Solar V, uma Phantom 345, com patrocínio da Amil Planos de Saúde, Imobiliária Ocasião, Marfinite, Shopping Cidade, New Hair Institute e Construtora Laguna, composta pelo Comandante André Camargo e Navegador Osmar Carta Neto que receberam o prêmio das mãos do Presidente do Iate Club Sr. Marcos Rupullo e Sr. Pedro Davi, proprietário da MM Náutica e representante da Schaefer Yachts, patrocinadores do evento.

Além do Comandante e do Navegador, a tripulação da embarcação Solar V, com sua participação constante, foi decisiva para a conquista deste título, sendo estes, também os vencedores:  

Piloto: Andre Camargo;
Navegador: Osmar Carta Neto
Navegador de GPS: Paulo Muniz
Controladores de Rota: Renam Brasil Filho e Claudio Possi
Auxiliares do Piloto: Emiliano; Costa Jr; Cesar Valério (Feijão)

O nível técnico da prova foi o além da expectativa, e que a organização do evento primou pela técnica de navegação muito apurada, fazendo com que pilotos e navegadores, se esmerassem o máximo para perder menos pontos.  
A próxima etapa do rallye náutico no Paraná, deve acontecer nos meados de fevereiro/2006, evento elaborado pelo Iate Club De Caiobá, em que a tripulação do SOLAR V pretende continuar com a ótima fase, que vem passando, trabalhando ao máximo para levar o título também nesta prova.

Entrevista com o comandante André Camarco:

O que vocês acharam da prova?

Antes de mais nada, gostaríamos de parabenizar os organizadores do IATE CLUBE DE PONTAL DO SUL, MM NÁUTICA, bem como a APUCRON pela brilhante prova.
Das últimas provas que nos participamos, foi uma prova de extremo nível técnico, dificultando ao máximo tanto a pilotagem como a navegação.

Como funciona o Rally Náutico?

São geralmente, embarcações de no mínimo 16 PES, aonde cada uma larga no seu minuto Exemplo barco 01 larga 10:01, barco 5 larga 10;05, e assim por diante, e no percurso da prova estão escondidos os Postos de Cronometragem (PC), e sai vencedor aquele que passar pelo (PC) no seu tempo ideal, de acordo com a média e distância do trecho.
O trecho (distância entre um ponto e outro) é informada pelo GPS (aparelho de navegação via satélite) oferecendo as coordenadas para que a embarcação se mantenha na rota estipulada.
No dia anterior a largada, é realizado pela organização do evento o brieffing, sendo neste momento entregue a rota, horário de largada e planilha, para que se alimente o GPS para a partida na manhã seguinte  

A pilotagem, qual a dificuldade encontrada?

Manter a embarcação na rota ideal com a velocidade estipulada, e aonde encontram-se algumas dificuldades, devido a ventos, marés, obstáculos (barcos de pescadores, etc). Também temos a dificuldade do porte da embarcação (PHANTOM 345) de 3 toneladas, que devido ao seu grande peso e volume, mudanças de trechos em que a velocidade se altera, vem a dificultar,  a pilotagem, pois a resposta tende a ser mais lenta
A concentração se torna essencial pois qualquer desatenção, tira a embarcação da rota e de seu tempo ideal.

Quais são os planos para o futuro da equipe?

A equipe tende a se profissionalizar, visto que no Brasil esse esporte não é muito difundido, e ainda estamos contando com a colaboração de alguns IATES CLUBES para a realização de provas aleatórias.
Como sugestão, os IATES CLUBES, deveriam unir-se, para a realização de um calendário mais constante, de campeonato sul-brasileiro ou estadual, para pegar um ritmo de provas.
Exemplo: Iate Clube de Pontal, Caiobá, Paranaguá e Guaratuba, já teríamos 4 provas no ano para um campeonato estadual, visto que até os patrocínios seriam mais fortes tanto para as equipes como para os organizadores dos eventos.

Como as informações são passadas entre piloto e navegador?

 As informações são passadas do navegador ao piloto, dizendo se ele está adiantado ou atrasado em relação ao seu tempo ideal. São informadas também, as médias e distâncias dos trechos para a melhor pilotagem.

A navegação como funciona?

Funciona em colocar o barco no tempo certo com todas as dificuldades encontradas no percurso, para que a embarcação perca o menor número de pontos.

Quantas pessoas fazem parte da equipe?

Além do Piloto e Navegador, temos a função do Navegador de GPS, 2 outras pessoas que são os controladores de rota, os auxiliares do piloto e navegador, e 1 marinheiro, cada um com sua função de suma importância para o êxito no evento.

Maiores informações da EQUIPE NÁUTICA SOLAR V pelos telefones (41) 8828-6090 ou (41) 9169-9010