Morientes, do Monaco, festeja
gol sobre seu ex-time.

Monaco –

O Real Madrid tem uma penca dos melhores e mais bem pagos jogadores do mundo. Nem por isso vence por antecipação. Os ‘galácticos’ pecaram pela soberba e perderam o rumo, ontem, com a derrota por 3 a 1, de virada, diante do Monaco, pelas quartas-de-final da Liga dos Campeões da Europa. Embora tivessem vencido por 4 a 2, no duelo de ida, em Madri, os espanhóis caíram porque levaram mais gols em casa. Os franceses enfrentam o Chelsea, que bateu o Arsenal por 2 a 1.

O Real entrou em campo, no Estádio Louis II, tranqüilo, por conta da vantagem no duelo anterior. Sem aceitar a correria do Monaco, tratou de tocar a bola, suportou pressão e aos 36 minutos do primeiro tempo tornou a diferença quase intransponível, com o gol de Raúl, em jogada que teve participação de Ronaldo e Zidane.

O Monaco só se salvaria se fizesse três gols. E conseguiu, em uma noite histórica. Aos 46 minutos, Giuly empatou com chute cruzado, de fora da área. A virada veio aos 3 da etapa final, com Morientes, vinculado ao Real, mas emprestado até o meio do ano. A festa ficou completa com outro gol de Giuly aos 11 minutos.

O Real entrou em parafuso e, pelo menos desta vez, não foi suficiente o talento de Roberto Carlos, Ronaldo, Figo, Raúl e Zidane. Todos ficaram muito aquém do que se esperava e não incomodaram o goleiro Roma. O Monaco, ao contrário, teve outras duas oportunidades para golear. Nonda e Adebayor mandaram bolas na trave.

“É um momento único e temos de aproveitá-lo”, afirmou Morientes, que em julho volta a Madri. O Real, que já havia perdido a Copa do Rei da Espanha, amarga prejuízo de US$ 3 milhões e tem só o campeonato doméstico como consolo.

Decepção semelhante em Londres, no duelo em que o Arsenal era favorito contra o Chelsea. Reyes aos 45 deixou os donos da casa em vantagem, mas Lampard aos 7 do segundo e Bridge aos 42 comandaram a virada. No primeiro jogo, empate de 1 a 1.

Milan quer espantar zebra

Milão –

A queda do Real Madrid deixou o Milan em alerta. O atual campeão europeu abriu 4 a 1 sobre o Deportivo La Coruña, duas semanas atrás, e é favoritíssimo no jogo de hoje, no campo do rival espanhol. Pode perder até por dois gols de diferença, que ainda assim se classifica para a semifinal da Liga. A vantagem folgada, porém, não serve como desculpa para relaxar. O técnico Carlo Ancelotti tratou de ser enfático na advertência, antes do embarque para a Galícia. “Devemos ignorar o resultado anterior”, avisou.

O técnico Javier Irureta deve colocar Tristán e Pandiani no ataque, para deixar o La Coruña mais ofensivo.

O Porto vai a Lyon com vantagem de 2 x 0 no outro confronto das quartas.