Nem o governo brasileiro nem a Fifa escondem que há problemas nos preparativos para a Copa do Mundo e a Copa das Confederações, mas o tom foi de otimismo na entrevista coletiva realizada nesta terça-feira, em Zurique, após o primeiro dia de reuniões entre os organizadores da competição.

O ministro do Esporte, Aldo Rebelo, garante que o País organizará, em junho, uma Copa das Confederações dentro do que foi prometido à Fifa. “Entre hoje (terça) e amanhã conversaremos sobre outras questões relacionadas com a preparação e a organização da Copa das Confederações, mas creio que cumpriremos com a nossa tarefa, o nosso desafio, e o presidente Blatter testemunhará a Copa das Confederações à altura da confiança que depositou no Brasil”.

O maior problema até agora é exatamente no principal palco da Copa das Confederações: o Maracanã, que está com as obras atrasadas. Além disso, as intervenções para facilitar o acesso ao estádio também estão fora do prazo. “O Maracanã é um estádio fundado em 1950. Durante esses 60 anos foi um dos principais palcos do futebol mundial. Ou seja, não é uma construção nova, então é preciso relativizar o problema das obras de acesso, porque esse acesso já existia, nós estamos apenas ampliando e facilitando”, argumentou Rebelo.

O ministro do Esporte, porém, tentou minimizar a responsabilidade do governo com os atrasos na entrega dos estádios – até agora só três estão prontos. Para isso lembrou que a Copa é um “evento essencialmente privado”. “Os recursos públicos são apenas para obras de mobilidade urbana, que seriam elaboradas independentemente de a Copa ser realizada no Brasil”, ressaltou.

Já o presidente da Fifa, Joseph Blatter, revelou que irá visitar todas as sedes da Copa do Mundo durante a Copa das Confederações e também buscou minimizar os atrasos. Durante a coletiva, ele pediu que a imprensa fale mais das Eliminatórias do que das obras.

“Você (jornalista) me pergunta se haverá problemas. Eu tenho certeza de que haverá, e tenho certeza de que serão resolvidos. Vai ser tudo resolvido. Em cada Copa do Mundo, fazem as mesmas perguntas: estarão prontos os estádios, os aeroportos, os hotéis? E ninguém fala das seleções, dos craques, dos jogadores. Eles estão prontos e querem começar a jogar”, disse Blatter, lembrando que no fim de semana serão realizados 83 jogos das Eliminatórias da Copa.

SLOGAN – O ministro do Esporte revelou que o governo negocia com a família do escritor Nelson Rodrigues para adquirir os direitos sobre a expressão “pátria de chuteiras”, que seria o slogan do governo na divulgação da Copa.