O confuso regulamento do Paranaense 2009 pode causar uma nova polêmica ao final do estadual. O artigo 14, que trata dos critérios de desempate na 2.ª fase, é dúbio e pode gerar discórdia na hora de definir as vagas para Copa do Brasil e Série D, a 4.ª Divisão do Brasileiro.

O primeiro critério de desempate é a soma de pontos nas duas fases do campeonato.

Em seguida, vêm número de vitórias, saldo de gols, gols a favor e cartões vermelhos.

Porém, o regulamento não especifica se, nesses critérios, vale a soma das duas fases ou apenas a etapa decisiva.

É improvável que o problema interfira na disputa pelo título. Atlético, Coritiba e J. Malucelli, que lideram a 2.ª fase, terminaram a 1.ª etapa com pontuações distintas. O Furacão, com 30 pontos; o Coxa, com 24, e o Jotinha, com 21.

O Rubro-Negro, portanto, ficará com o título caso termine empatado com qualquer adversário. O Cori levará vantagem se anotar a mesma pontuação do Caçula.

Pendegas à vista

Mas na briga por lugares na Copa do Brasil e na Série D a história é outra. A questão tem potencial para se tornar mais um pepino para a Federação Paranaense de Futebol (FPF).

Nacional e J. Malucelli, que brigam diretamente pelas vagas, terminaram a 1.ª fase com a mesma pontuação: 21 pontos. Se ficarem novamente iguais, o desempate será pelos demais critérios, colocando e evidência a falha no regulamento.

O mesmo pode acontecer com outros clubes que terminaram empatados a 1.ª fase: Paraná e Iraty (20 pontos) e Cianorte e Paranavaí (19). O Tricolor já tem vaga garantida no Brasileiro, mas pode precisar de uma boa posição para assegurar um lugar na Copa do Brasil de 2010.

Segundo o diretor de futebol profissional da FPF, Amilton Stival, o critério de soma das duas fases deve ser mantido também em relação aos demais critérios de desempate. “Tenho que levar em conta a soma das duas fases, se não nunca chegaremos a um denominador comum”,
afirma.