Átila Alberti
Atacante espera que o Coxa
reinicie o Brasileirão mais
confiante após esta parada.

Ele quer mais. O centroavante Renaldo, mesmo sendo um dos que se salvaram do desastre do Coritiba em Santos, não pretende apenas ver seu próprio sucesso. O puro-sangue espera a recuperação do time – e logo. Assumindo uma posição de liderança do elenco, Renaldo defendeu os companheiros, ao mesmo tempo que cobrou mais atitude durante as partidas.

Renaldo tem uma boa média de gols desde que chegou ao Coxa (dois gols em quatro jogos, 0,5 por partida). Mas ele esperava mais dele mesmo. ?Acho que ainda não estou totalmente preparado. Fiquei muito tempo fora no Brasileiro e preciso adquirir ritmo de jogo?, afirma o centroavante, que quer aproveitar o período de parada no campeonato para melhorar o preparo físico. ?Em um momento como este, cada jogador tem uma necessidade. E a comissão técnica sabe disso.?

Mas se a parte física se acerta com os treinamentos, uma nova atitude só é conseguida com muita conversa e uma mudança de pensamento. Renaldo quer ver um Coxa confiante a partir do reinício da competição (o Cori enfrenta o Palmeiras, dia 8 de setembro, no Palestra Itália). ?Precisamos melhorar no campeonato, buscar sempre as vitórias, e entrar em campo querendo vencer?, diz.

Renaldo não concorda com as críticas feitas ao grupo nos últimos dias. ?Ouvi dizer que nosso grupo é fraco, que não temos condições de ajudar o Coritiba. Nosso elenco é tão forte quanto os times que estão nas primeiras posições do Brasileiro?, garante. ?E é por isso que estamos brigando. Ninguém está aqui para pensar em não cair para a segunda divisão. Estamos a seis pontos dos primeiros colocados?, reclama.

Por conta disso, o centroavante quer retribuir ao Coxa a estrutura que é dada para ele – e para os outros jogadores. ?Nós estamos em um clube que dá todas as condições para a gente só pensar no futebol. E não estamos correspondendo?, adverte. ?Cada um tem que se cobrar, detectar o que está fazendo de errado e tentar melhorar. Temos um tempo, que é essa parada do campeonato, para descobrir o que está acontecendo?, completa.

O segredo de Renaldo para a recuperação do Coxa é simples. ?Precisamos ter mais concentração durante as partidas, ter atitude de time vencedor. E não podemos perder a motivação. Estamos no Coritiba e só isso já representa motivação?, afirma o centroavante coxa. ?Não podemos mais errar.

A partir de agora temos que ser um time 100%?, finaliza.

Roger está na mira e pode pintar no Alto da Glória

São remotas as possibilidades do anúncio prometido pelo presidente Giovani Gionédis ser pontuado por novidades para o departamento de futebol. Mas também não será surpresa se isso acontecer. Dois jogadores – o goleiro Roger e o meia Tcheco – estão nos planos do clube e ambos poder ser contratados, o primeiro ainda esta semana e o segundo para a temporada 2006.

O interesse do Coritiba por Roger vem de tempos, mas se intensificou desde a semana retrasada, quando houve a primeira sondagem com o São Paulo. A negociação foi escancarada pelo diretor de futebol do time paulista, Juvenal Juvêncio, que ao confirmar o afastamento do jogador informou que Santos e Coxa já tinham feito propostas oficiais. O técnico Cuca garantiu ontem que o goleiro não será contratado. ?Nossos goleiros até o final do ano já estão no clube?, disse, citando Vizzotto, Douglas, Júnior e Ricardo Vilar.

No caso de Tcheco, a possibilidade de contratação depende de uma combinação de fatores – e elas convergem para o final do ano. É quando termina o contrato do armador com o Al-Ittihad, da Arábia Saudita. Dessa maneira, o Coritiba não precisaria arcar com a multa rescisória do jogador, de cerca de um milhão de dólares (aproximadamente R$ 2,4 milhões). E, além de tudo, deve fazer a diferença o interesse do jogador, que viveu seu melhor momento na carreira no Alto da Glória. Mantendo o estilo de trabalho do departamento de futebol, no Coxa ninguém comenta nada sobre possíveis contratações.

Gionédis apresenta a ?surpresa? hoje

Está confirmada para hoje a entrevista coletiva do presidente Giovani Gionédis e a conseqüente ?surpresa? que ele está prometendo para a torcida do Coritiba. Como se previa, deve acontecer o anúncio de um passo definitivo na recuperação financeira do clube – a recomposição da dívida com o Bradesco -, além da possível confirmação da conclusão do estádio Couto Pereira.

Por enquanto, o presidente coxa não abre o jogo. Entrevistado pela rádio CBN, Gionédis desconversou quando perguntado sobre o assunto da coletiva. ?Só posso dizer que é algo muito positivo para o Coritiba. É um momento importante para o clube?, afirmou o dirigente, que volta hoje de Brasília, onde foi acompanhar o trâmite da votação da lei que regulamenta a Timemania.

A própria loteria, que destinará 25% do que for arrecadado com impostos para pagamentos de dívidas com a União, vai criar condições para o ?salto? planejado pela direção. ?A aprovação da Timemania é de fundamental importância para o futebol brasileiro e para o Coritiba?, confirmou Gionédis. É outra fonte de receita que ajudará a recuperar o caixa alviverde.

Mas a liberação da pendência com o Bradesco (a proposta do clube é de pagar boa parte da dívida à vista, recebendo um desconto) fará o Coritiba voltar a pensar em investimentos no patrimônio -sempre em parcerias com a iniciativa privada. Entretanto, a partir de agora a idéia é acelerar o processo, aproveitando-se do fato de que o Coxa teria o ?nome limpo na praça?.

E o plano principal, naturalmente, seria a conclusão do Alto da Glória, sonho de dirigentes e torcedores desde o final dos anos 70. Com a receita das vendas de jogadores para o exterior, a quitação da principal dívida e o aporte financeiro que virá da Timemania, o momento é o mais propício para o fechamento do estádio.

Marquinhos fora de combate por um mês, no mínimo

O meia Marquinhos continua sendo a grande preocupação do Coritiba. O jogador passou por uma bateria de exames nos últimos dias, mas não foi possível diagnosticar a extensão da lesão no joelho direito. Mas é certo que o jogador fica, no mínimo, um mês afastado dos campos. E não está descartada, ainda, uma intervenção cirúrgica.

A preocupação estava no semblante de Marquinhos, quando ele chegou ontem ao CT da Graciosa. Com dificuldades para caminhar, o armador alviverde – principal contratação do clube para a temporada – andava cabisbaixo, ainda tenso pela indefinição de seu problema. Segundo o médico Walmir Sampaio, ainda não se pode saber ao certo o que o jogador tem. ?O joelho está muito inchado e os exames não conseguem ser conclusivos. Temos que aguardar mais uns dias?, explica.

A torcida é para que não tenha havido lesão séria nos ligamentos. O jogador já passou por uma intervenção no local, quando estava no Bayer Leverkusen e o temor dos médicos é que a correção feita naquela cirurgia seja afetada. Caso tenha acontecido uma contusão grave, Marquinhos terá que ser operado – o departamento médico do Coritiba não quer fazer previsões. ?Melhor esperar os novos exames, que serão feitos no final da semana?, diz Walmir Sampaio.

Problemas

O outro jogador que saiu lesionado da Vila Belmiro já tem tempo definido de ?estaleiro?. O zagueiro Allan, que teve uma contratura na panturrilha, não treinará por uma semana.