Orlando Kissner
Renaldo sobe e faz gol no treino de ontem. Em forma e com vontade, ele já teve estréia anunciada pelo técnico para amanhã à tarde.

Agora vai. O Coritiba terá Renaldo na partida de amanhã, às 16h, contra o São Caetano, no Couto Pereira. Mais uma vez o centroavante foi destaque dos treinamentos, contagiando os companheiros com a animação de um ?garoto?, como definiu o técnico Cuca, e com a eficiência nas conclusões. O ?puro sangue? será a grande estrela do jogo, que faz parte da promoção da Nestlé, e que deve ter casa cheia.

Em apenas quatro dias de treinamentos, Renaldo chegou muito perto do rendimento físico que se esperava dele – e que o deixou de fora da partida contra o Atlético-MG, na quarta-feira. O centroavante precisava recuperar o tempo em que ficou tratando de uma lesão na coxa, e também os dias que não trabalhou, quando negociava sua transferência do Paraná para o Coxa. ?Estou me sentindo pronto para jogar?, confirma.

Isto ficou claro no trabalho de ontem, que reuniu os jogadores que não enfrentaram o Galo (ou que atuaram no segundo tempo, caso de Alcimar e Marquinhos). Renaldo movimentou-se bastante, abriu espaços para os companheiros e mostrou categoria nos dribles. E não decepcionou no que mais se espera dele. Foram dois gols: um de oportunismo, desviando o arremate de Marquinhos; outro de cabeça, antecipando-se a Douglas. Além disso, o centroavante deixou mais uma vez claro que está empolgado em jogar no Alto da Glória. ?Meu interesse é fazer história no Coxa?, resume.

Foi essa motivação que fez Cuca se antecipar e praticamente escalar Renaldo para o jogo com o Azulão. ?Depende do último treino, mas ele está bem, animado para jogar e é muito grande a possibilidade disso acontecer?, afirma o treinador, que vai anunciar oficialmente a escalação alviverde após o trabalho desta manhã, no CT da Graciosa. E ele admite que a atitude do centroavante está fazendo a diferença. ?Você sente que o jogador quer atuar. E o Renaldo parece um meninão, um garoto de 35 anos?, brinca.

Que está mais ansioso que todos para estrear. ?Eu vim para jogar e o Coritiba dá todas as condições para fazer isso. Não precisamos nos preocupar com nada, aqui tem estrutura para a gente só pensar nas partidas?, comenta Renaldo, que fará sua primeira partida com a camisa alviverde já com a responsabilidade de sempre: marcar os gols que levarão o Coxa a conquistar mais três pontos. ?Confio nele. Além da qualidade, ele tem estrela?, finaliza Cuca.

Time

Além de Renaldo, outros três jogadores estão prontos para voltar ao time: os zagueiros Flávio e Vágner e o meia Marquinhos. Como é de praxe no seu trabalho, Cuca prefere antes realizar o treino para depois confirmar a equipe. Ontem, ele não quis mencionar nenhuma possível alteração para o onze que enfrentará o São Caetano. Porém, a tendência é que Vágner e Marquinhos sejam titulares amanhã.

Árabes e dólares levam Alexandre

Durou apenas dezoito jogos a passagem de Alexandre pelo Coritiba. Uma das principais contratações do clube para o Campeonato Brasileiro, o atacante resolveu acatar o posicionamento do Iraty, dono de seus direitos federativos, e está seguindo hoje para os Emirados Árabes, onde defenderá o Al Wasl, de Dubai. A negociação foi alvo de uma ríspida tentativa coxa de barrar a saída do jogador, mas não houve jeito – e as relações entre Coxa (que ainda tenta mantê-lo) e Iraty ficaram bastante estremecidas.

Segundo Alexandre, o interesse do Al Wasl começou há duas semanas. ?Eles procuraram o Iraty e manifestaram o interesse de me contratar. Conversamos e acabamos acertando. O lado financeiro acabou pesando muito?, confessa o atacante, que parecia desenxabido ao falar com os repórteres.

O motivo era a confusão que se tornara a sua saída. Quando informados do interesse do Iraty em negociar o jogador, a diretoria alviverde tentou segurá-lo no Alto da Glória. Era complicado – no momento da assinatura de contrato de Alexandre com o Coxa, foi incluída uma cláusula que o liberaria graciosamente caso os donos dos direitos federativos recebessem uma proposta vantajosa.

Para o time do interior, o dinheiro oferecido pelos árabes era interessante e na noite de quarta o jogador informou oficialmente que queria deixar o Coxa e que tinha passagem para hoje, às 14h. Nem mesmo uma oferta de contrato longo e aumento de salário comoveu o jogador. ?Ele está aceitando um contrato que não é tão bom para ele. É melhor para os empresários?, reclama o técnico alviverde Cuca. Ontem, o presidente Giovani Gionédis tentou a última cartada, mas o presidente do Iraty, Sérgio Malucelli, não quis conversa. A reunião dos dirigentes não teria terminado bem.

Cuca e os jogadores tentaram demover Alexandre da idéia, mas também não conseguiram. Alexandre, que no final da tarde foi recolher seus pertences no CT da Graciosa, levando-os em um saco plástico, não foi liberado pelo Coxa, mas pensa no futuro – no contrato de dez meses que terá com o Al Wasl. ?Espero que dê tudo certo para mim e quem sabe em maio eu volte para o Brasil e volte para o Coritiba?, resume. A diretoria do Cori, através da assessoria de imprensa, informou que não vai comentar o assunto.

Futuro

A comissão técnica não trabalha mais com a hipótese de uma reviravolta no caso. Por isso, aumentou o interesse na procura de outro atacante. A intenção inicial era trazer um jogador jovem, do interior de São Paulo, mas agora volta-se a pensar na possibilidade da contratação de um atleta estrangeiro.