Mesmo jogando em casa, com todo o apoio da torcida, a seleção brasileira masculina de vôlei não é favorita na fase final da Liga Mundial. Esta é a avaliação do técnico Renan Dal Zotto, que comandará o time em sua estreia nesta fase nesta terça-feira, contra o Canadá, na quadra montada sobre o gramado da Arena da Baixada, estádio do Atlético Paranaense, em Curitiba.

“Não tem como apontar favoritos. São seis equipes que podem chegar à conquista do título sem a menor sombra de dúvidas”, afirmou Renan Dal Zotto. Além do Canadá, o Brasil terá pela frente rivais como Rússia, França, Estados Unidos e Sérvia.

O primeiro desafio, contra os canadenses, está marcado para as 15h05. “O Canadá é uma seleção muito consistente taticamente, com sistema de bloqueio e defesa. Tem no seu contra-ataque uma das suas armas. Eles jogam para causar o maior número de contra-ataque possível. Então é um jogo onde temos que ter muita paciência”, avaliou o treinador.

Para o capitão da seleção, o levantador Bruninho, a defesa do Canadá também inspira cuidados. “O Canadá tem um sistema defensivo muito forte. Às vezes não conseguem matar a jogada, mas cobrem, erram muito pouco e nós temos que estar muito tranquilos para jogar porque é uma partida que tem tudo para se tornar longa. Temos que ter essa frieza para enfrentá-los”, pregou o jogador.

No Grupo J da fase final, a seleção também enfrentará a seleção da Rússia. O duelo está marcado para a quinta-feira. Os dois melhores times da chave vão enfrentar nas semifinais os dois melhores do Grupo K, que tem Sérvia, França e Estados Unidos. Semifinais e a grande decisão serão disputadas no fim de semana.