Fornecedora de motores da Red Bull e da Toro Rosso, a Renault está otimista após sofrer críticas pelo rendimento na abertura do campeonato de 2015 da Fórmula 1, na Austrália. Após avaliar que apresentou evolução no GP da Malásia, a fornecedora de motores destacou que adquiriu a confiança para ter uma abordagem mais agressiva para o GP da China, neste fim de semana, no circuito de Xangai, que possui longas retas.

“A performance teve uma melhoria na Malásia, mas mantivemos alguma reserva para assegurar a confiabilidade. Agora estamos ficando mais confiante nesta área e podemos nos dar ao luxo de sermos mais agressivos e devemos ver melhores resultados nas retas, com uma maior velocidade máxima”, disse o diretor de operações da Renault, Rémi Taffin.

No GP da Malásia, os carros de Red Bull e Toro Rosso terminaram na zona de pontuação, todos eles entre o sétimo e o décimo lugar. Agora, a Renault acredita ser possível aproveitar a evolução do motor e as características do circuito de Xangai para competir e superar a Williams, avaliada como a terceira melhor equipe da Fórmula 1 nesse momento, atrás de Mercedes e Ferrari.

“Com as melhorias na dirigibilidade e no desempenho geral, nós esperamos que possamos lutar contra os carros da Williams e conquistar mais alguns pontos na China”, afirmou o diretor de operações da Renault.