Às 11h30 de ontem, o governador Orlando Pessuti convocou a diretoria do Atlético para uma reunião à tarde, a fim de discutir a viabilidade econômica da Arena da Baixada para a Copa 2014. É a partir do estádio que Curitiba poderá ser oficializada como subsede do próximo Mundial ou não. Do encontro no Palácio das Araucárias, que começou às 16h e se estendeu até o começo da noite, os 12 participantes saíram com uma convicção: só o presidente Luiz Inácio Lula da Silva pode salvar a Copa na capital paranaense.

Lula terá audiência com representantes do governo estadual e da Prefeitura de Curitiba – Orlando Pessuti e Luciano Ducci à frente – na próxima segunda-feira, quando será discutida a questão Copa do Mundo na cidade. Haverá um apelo ao presidente para que ele intervenha junto ao BNDES, com o objetivo de haver uma flexibilização nas exigências do banco para a liberação de recursos que possam adequar a Arena ao caderno de encargos da Fifa. Até o momento, o BNDES só aceita liberar a linha de crédito se o próprio estádio e o CT do Caju forem dados como garantia.

No entanto, na reunião de ontem, segundo fontes, o vice-presidente do Atlético, Ênio Fornea Júnior, foi taxativo ao dizer que “nenhum palito do patrimônio do Atlético” será dado como garantia. A diretoria também se nega a dar aval pessoal para a captação de recursos. Diante da irredutibilidade rubro-negra, será buscada uma outra alternativa, via Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE). Neste caso, o BRDE captaria do BNDES os recursos necessários para a adequação do estádio e daria como garantia o potencial construtivo do terreno da Arena da Baixada.

Essa possibilidade de o BRDE assumir as garantias já é dialogada entre negociadores da Copa em Curitiba desde uma reunião envolvendo Atlético e Federação das Indústrias do Paraná (FIEP) ocorrida na semana retrasada em Brasília. No entanto, somente a intervenção do presidente Lula pode agilizar a operação.

Hoje, as autoridades e a diretoria do Atlético voltam a se encontrar no Palácio das Araucárias. Na ocasião, o presidente do BRDE, Airton Pisseti, estará na reunião para dar seu parecer sobre a possibilidade de o banco assumir as garantir no lugar do Atlético e se é possível que a instituição aceite títulos de potencial construtivo para avalizar as obras. “A reunião continua amanhã (hoje)”, destacou o secretário do comitê estadual da Copa, Wilson Portes, sem entrar em maiores detalhes. O mesmo discurso foi apresentado pelo gestor municipal para assuntos da Copa, Luiz de Carvalho. “Queremos rapidamente encerrar esse capitulo”, disse.