O revezamento 4x100m masculino teve o melhor resultado dentre diversas participações brasileiras em competições de atletismo nos Estados Unidos, na Argentina e no Uruguai no fim de semana passado. A equipe composta por Vitor Hugo dos Santos, Bruno Lins, Aldemir Gomes Junior e Jorge Henriques Vides ficou em terceiro no Florida Relays, nos EUA, com 38s69.

Como a temporada está começando só agora, o resultado é o terceiro do ranking mundial. Mas levando em conta os resultados de 2015, o Brasil se aproximou bastante da marca que garantiu a equipe nos Jogos Olímpicos do Rio: os 38s63 do Mundial de Revezamento, nas Bahamas.

No revezamento 4x400m, a novidade foi a presença de Bruno Lins, velocista, abrindo a equipe de Wagner Cardoso, Pedro Burmann e Hugo Balduíno. O Brasil ganhou o bronze, com 3min02s50. Como comparativo, o melhor tempo da equipe na temporada passada foi 3min00s96.

Nas provas individuais no Florida Relays, o Brasil não teve nenhum resultado expressivo em nível internacional. Hugo Balduino foi o mais rápido nos 400m (45s76, a 0s36 do índice), Aldemir Gomes Junior nos 200m (20s47, 0s03 abaixo do índice) e Bruno Lins nos 100m (10s29, a 0s13). No feminino, Franciela Krasucki foi a melhor tanto nos 200m (23s27, a 0s07) quanto nos 100m (11s47, a 0s15).

Todos esses atletas estão treinando nos Estados Unidos graças a convênios da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) com o Comitê Olímpico do Brasil (COB), ministério do Esporte e/ou Caixa. Também os atletas de provas de campo estão nos EUA desta forma.

Em San Diego, foram três medalhas de ouro. Fernanda Borges (60,03m) e Ronald Julião (60,55m) ganharam no disco, enquanto Julio Cesar Oliveira levou a melhor no dardo (73,42m). Ronald é o único que ainda não tem índice para os Jogos do Rio, que é 65,00m na prova dele. Julio tem índice, mas ficou quase 10m abaixo desta vez.

Diversos atletas do Pinheiros foram para um GP em Mar del Plata, na Argentina. Talles Federico, que fez o índice no salto em altura na semana passada, ao saltar 2,29m, desta vez parou em 2,20m. Andressa Morais, do disco, alcançou 57,80m.

Em Montevidéu, no Uruguai, competiram atletas de diversas equipes brasileiras, como Sogipa, BM&F Bovespa e Orcampi. O torneio teve baixo nível técnico, a ponto de o ouro no salto com vara ficar com uma atleta que saltou 3,51m, mais de um metro abaixo dos piores resultados de Fabiana Murer.

Por fim, o Campeonato Sul-Americano de Marcha Atlética teve Erica Rocha de Sena completando em primeiro nos 20km, após 1h34min09s01 de prova, novamente abaixo do índice olímpico – ela bateu o recorde sul-americano recentemente. José Alessandro Bagio ganhou a prata na prova masculina, mas, com 1h24min22s84, ficou pouco acima do índice olímpico, que é 1h24min00s.