Agora é pra valer. Após o período de observações e testes, o Paraná Clube deu início à preparação para a Copa do Brasil. Um difícil trabalho de reconstrução do time, que terá um novo perfil sob o comando do técnico Ricardinho, que ontem fez sua estreia oficial no comando do Tricolor. Adaptado à realidade do clube, ele irá priorizar a “garimpagem” de jovens talentos e dar início à formatação do grupo, que a partir de maio terá pela frente as Segundonas do Paranaense e do Brasileiro.

O grupo, até aqui, conta com 22 atletas. Entre eles, dois reforços indicados pelo treinador: o zagueiro André Vinícius (ex-Corinthians-SP) e o volante Lucas (ex-Juventus-SP). “Iremos dar oportunidade aos jovens. É claro que mesclando com alguns jogadores mais experientes. Nesse momento, o mercado é complicado. Por isso, estamos trabalhando com muito critério”, disse Ricardinho. O treinador rechaçou a possibilidade de trabalhar com grupos distintos nas competições que o Tricolor terá pela frente. “É claro que após os estaduais, iremos voltar ao mercado. Mas aí, apenas para qualificar o grupo. Meu planejamento é, agora, fazer algumas contratações pontuais e seguir com um grupo enxuto. Aí, perto do Brasileiro, só completaremos o elenco com algumas peças”, explicou.

Ricardinho quer evitar que o Paraná siga na ciranda dos últimos anos, onde precisou montar e remontar seu time diversas vezes ao longo das competições. “É claro que algumas mudanças são inevitáveis. Mas a base deve sempre ser mantida.”

Além de André Vinícius e Lucas, o Paraná já contratou o zagueiro Alisson (Grêmio Metropolitano-PR) e o meio-campo Vinícius (Americano-RJ). Ricardinho, mesmo não citando posições, estima que para iniciar a Copa do Brasil ainda precisa de mais cinco ou seis jogadores. “Traremos alguns jogadores, mas dentro das condições do clube. Não vou trazer atletas só para a Copa do Brasil”, disse.