O Brasil tem cinco duplas nas quartas de final do Grand Slam de Moscou, etapa russa do Circuito Mundial de Vôlei de Praia. Nesta sexta-feira, o País avançou com três times na chave masculina e outros dois na feminina. Larissa e Talita enfrentavam Liliana/Baquerizo, da Espanha, por vaga na semifinal, quando começou a chover forte. O jogo foi paralisado e só vai continuar no sábado. Pela mesma chave, Lili/Carol Horta vai enfrentar Wang Fan/Yue (China).

O torneio em Moscou marca o início da corrida olímpica para as dupla nacionais. Pelo que definiu a Confederação Brasileira de Vôlei (CBV), o ranking vai computar os oito melhores resultados entre os 10 principais torneios do Circuito Mundial, sendo o primeiro deles o Grand Slam de Moscou. A dupla campeã deste ranking vai para a Olimpíada do Rio e a segunda colocada terá prioridade de convocação.

No masculino, o dia não poderia ter sido melhor para o Brasil. Em quatro jogos contra times estrangeiros, foram quatro vitórias. A única eliminação veio em confronto direto das oitavas de final. Alison e Bruno Schmidt venceram Álvaro Filho e Vitor Felipe por 2 sets a 1, com parciais de 18/21, 21/17 e 15/8. A dupla paraibana vinha de triunfo sobre Fañe/Jackson (Venezuela), na repescagem.

“Jogo Brasil contra Brasil é isso, não tem jogo fácil. São times que se conhecem, sabem muito um do outro. Então já esperávamos um jogo pegado e que seria decidido em detalhes”, analisou Bruno Schmidt.

Pedro Solberg e Evandro também fizeram dois jogos nesta sexta. Os cariocas passaram por Ranghieri/Carambula, da Itália, por 2 a 1 (16/21, 21/10 e 15/12), pela repescagem, e depois ganharam de Patterson/Gibb, dos Estados Unidos, novamente em três sets, com parciais de 27/25, 21/13 e 17/15.

Já Ricardo e Emanuel mostraram força. Depois de campanha invicta na fase de grupos, os veteranos venceram Samoilovs/Smedins, da Letônia, dupla campeã do Circuito Mundial no ano passado. Os brasileiros venceram em sets diretos, com 21/17 e 26/24 no placar.

“Conseguimos jogar com consistência, controlando nossos erros e vontades de ir além. O outro time realmente é muito bom, são os atuais bicampeões do Circuito, mas eu e Ricardo conseguimos encaixar uma estratégia de sacar forte o tempo todo, saindo um pouco do nosso estilo, que é de um jogo mais controlado. Então fazer um jogo mais rápido foi fundamental para o vitória”, destacou Emanuel.

FEMININO – Entre as mulheres, a previsão era de que três fases fossem jogadas nesta sexta-feira. Mas começou a chover forte durante a noite em Moscou e a partida entre Liliana/Baquerizo e Larissa/Talita precisou ser paralisada no segundo set, que estava 10/7 para as brasileiras. As espanholas haviam vencido o primeiro set. Antes, nas oitavas, Larissa e Talita haviam passado fácil por Ukolova/Birlova (Rússia), com parciais de 21/13 e 21/18.

Esposa de Larissa, Lili faz sua melhor campanha no Circuito Mundial. Ao lado de Carol Horta, venceu dois jogos nesta sexta. A dupla brasileira passou por Zumkehr/Heidrich (Suíça) na repescagem, por 2 a 1 (21/16, 19/21 e 15/11), e depois surpreendeu Ágatha/Bárbara Seixas no confronto nacional, novamente por 2 a 1 (22/20, 17/21 e 15/11).

Outra dupla favorita a cair cedo foi Juliana/Maria Elsa. Elas venceram Vivian/Abbaszade (Azerbaijão, ainda que Vivian seja brasileira) por 2 a 0, com fáceis 21/13 e 21/15, mas perderam de Wang/Yue, da China, nas oitavas. O jogo teve dois sets, com parciais de 21/19 e 21/15.

Por fim, Maria Clara e Carol foram direto para as oitavas de final, mas acabaram superadas por Kessy/Day (Estados Unidos), por 2 a 1, com parciais de 21/19 e 26/24. Convidadas para a chave principal em Moscou, as irmãs cariocas terão que jogar o country cota em Porec (Croácia), na semana que vem. Lili/Carol Horta e Fernanda Berti/Taiana também vão brigar por uma vaga no quali. As demais duplas femininas brasileiras estão na chave principal.