Criticado pela torcida nas últimas semanas por causa da falta de ritmo, o atacante Ricardo Oliveira foi o responsável pelo gol da virada do Santos na vitória sobre o Flamengo por 3 a 2, na noite desta quarta-feira, no Pacaembu, em rodada do Brasileirão.

O gol decisivo, porém, não serviu de desafogo para o atacante. Pelo contrário, ele admitiu que ainda está sem ritmo de jogo. Foi apenas a sua terceira partida desde seu retorno, ao fim de uma sequência de problemas físicos, que incluem lesão muscular e até uma pneumonia.

“Até têm razão [aqueles que me criticam pela falta de ritmo]”, reconheceu o experiente atacante, em entrevista ao Sportv, na saída de campo. “Foi apenas o terceiro jogo. A gente procura melhorar a cada jogo. Foi como o Levir [Culpi] falou: quanto mais você joga, mais você adquire ritmo. Mas peguei uma bola ali e fiz, fui feliz.”

O gol decisivo saiu aos 42 minutos do segundo tempo. Daniel Guedes cruzou da direita e o atacante, então apagado em campo, cabeceou sem qualquer marcação para o gol. Até então o Flamengo vinha dominando o jogo, até com uma virada no placar, após sair atrás no placar – todos os gols da partida saíram no movimentado segundo tempo do jogo.

Antes do confronto desta noite de quarta, Ricardo Oliveira havia entrado em campo para enfrentar o Flamengo na quarta passada, pela Copa do Brasil, e o Grêmio, no domingo, em rodada do Campeonato Brasileiro. O atacante não jogava uma partida desde o início de junho.