São Paulo – O atacante Ricardo Oliveira vive os dias mais felizes de sua vida desde a semana passada, quando a sua irmã Maria de Lourdes, que passou 159 dias em poder de seqüestradores, foi libertada. Para melhorar, segunda-feira o atacante do Milan recebeu a notícia de que havia sido convocado por Dunga para os amistosos contra Chile e Gana, sábado e terça-feira, no lugar do contundido Rafael Sobis.

Ontem, antes de se apresentar à seleção para a viagem à Europa, Ricardo Oliveira treinou no CT do São Paulo e concedeu uma entrevista coletiva na qual avisou que não responderia a perguntas sobre o seqüestro da irmã, mas não deixou de abordar o assunto. ?Peço que entendam o meu lado. Todos sabemos o que uma pessoa pode passar nessa situação, mas o mais difícil já foi. Foram os meus piores meses como jogador profissional, mas agora começo uma nova etapa na minha vida?, disse o atacante de 27 anos, que completa sua primeira temporada no Milan.

No domingo, Ricardo Oliveira decidiu fazer uma surpresa para a irmã. Assim que a partida contra a Atalanta terminou, ele pegou as malas e viajou para o Brasil. ?Cheguei aqui sem a minha irmã saber. Quando ela me viu, foi uma emoção muito grande, choramos muito. Foi o dia mais feliz da minha vida. Antes, passava aquele sentimento de que não veria mais a pessoa amada.?

Durante o período de sofrimento, ele recorreu a alguns amigos. Entre eles, Luís Fabiano, do Sevilla, e Robinho, do Real Madrid, que tiveram suas mães seqüestradas e resgatadas. ?Eles me passaram muita tranqüilidade e calma.?

A tragédia familiar vivida fez o jogador tomar uma decisão: a de permanecer na Europa por um bom tempo.

Agora, aliviado após os cinco meses de seqüestro da irmã, o atacante acredita que poderá mostrar no Milan o futebol que dele se espera. ?Só quem passa pelo que eu passei sabe o que é trabalhar com um problema desses. É pressão em campo e fora também. Não desejo isso a ninguém. Mas agora começo uma nova fase na vida.?

Cássio, sub-20, chamado por Dunga

Rio – O goleiro Cássio, do Grêmio, foi convocado ontem no lugar de Hélton, do Porto, para os amistosos contra o Chile, sábado, em Gotemburgo, e Gana, na próxima terça-feira, em Estocolmo. Hélton está contundido e será preservado a pedido de seu clube, que no domingo, dia 1.º de abril, faz um clássico decisivo pelo campeonato português, contra o Benfica.

?A convocação do Cássio faz parte do planejamento traçado pela comissão técnica de observar jogadores que possam ser aproveitados na seleção olímpica?, explicou o técnico Dunga. Cássio, de 19 anos e 1,95 metro, foi campeão sul-americano sub-20 com a seleção brasileira, no início do ano, no torneio disputado no Paraguai, conquista que valeu vaga nos Jogos Olímpicos de Pequim, em 2008.

Cássio foi chamado de última hora para a seleção no lugar de Felipe, do Santos, que cumpria suspensão preventiva por doping – acabou inocentado depois. Durante o torneio, teve a chance de jogar no último jogo da primeira fase, contra o Paraguai, porque o titular, Muriel, estava suspenso com dois cartões amarelos. Jogou bem e foi mantido no time pelo técnico Nelson Rodrigues.