O técnico Ricardo Pinto decidiu priorizar a disciplina. Por conta desta conduta, o ala Henrique e o meio-campo Diego foram “barrados” e não enfrentam o Roma Apucarana, amanhã, às 18h30, na Vila Capanema.

Os dois jogadores faltaram aos treinamentos da semana, sem dar jutificativa, o que teria irritado o treinador. “Aqui, estamos todos no mesmo barco e não há ninguém insubstituível”, disse Ricardo, em recado direto aos “indisciplinados”.

Por conta desta punição às revelações tricolores, e pela necessidade da vitória, o Paraná Clube terá um posicionamento mais ofensivo neste jogo. O Tricolor é o antepenúltimo colocado na classificação geral do Paranaense – tem 11 pontos – e precisa ganhar para acumular gordura na luta contra o descenso.

Por isso, o time será diferente daquele que atuou contra o Coritiba, a fim de reencontrar a sequência de quatro vitórias interrompida no clássico. Assim, Ricardo Pinto decidiu armar o Tricolor com dois meio-campistas criativos e dois atacantes natos.

“Se você mexe e vence, é gênio. Se perde, é burro. Faz parte do futebol e os comentários não me afetam”, assegurou o treinador. Independentemente disso, Ricardo optou por sacar o volante Maycon Freitas.

Só que diante das ausências de Kerlon, Bruninho e Packer – todos eles lesionados -, o setor criativo do Paraná será formado por Taianan e Vinícius. “São jogadores que vêm se esforçando muito nos treinos e merecem essa chance”, disse Ricardo. “Seria injusto não valorizar aqueles que estavam ralando desde o início da semana”, completou.

Na visão do técnico, referindo-se a Henrique e a Diego, não se trata de uma punição aos atletas ou ao time. “É apenas uma oportunidade para mostrar que é preciso, acima de tudo, ter disciplina”, avisou.

“O grupo tem que estar comprometido com o nosso objetivo de resgatar o Paraná. Atitudes contrárias não podem simplesmente ser deixadas de lado”. Henrique faltou ao treino de terça pela manhã e Diego só se apresentou na quarta à tarde, perdendo três sessões de treinamentos. “Quem não treinou, não joga. É regra”, disse Ricardo Pinto, que assim escalou Lima na lateral-esquerda e Léo no ataque.