Rio

– A escolha do Rio de Janeiro para fazer parte do trajeto da tocha olímpica, fato inédito para a América do Sul, será usada pelos brasileiros para promover a candidatura da cidade para sediar a Olimpíada de 2012. O discurso dos dirigentes não admite, mas a idéia é promover uma grande festa quando o ritual secular acontecer.

“Este não é um evento do Rio, mas do Brasil. Um evento para a América do Sul”, disse o prefeito Cesar Maia, ao lembrar que a cidade brasileira será a única do continente sul-americano por onde a tocha passará. Ele destacou ainda que a presença do presidente Luiz Inácio Lula da Silva durante a cerimônia será indispensável. “Vamos fazer uma festa internacional e encerrar o evento com um grande show.”

A previsão é a de que a tocha olímpica seja acesa dia 25 de março no Monte Olimpia, na Grécia, e inicie sua peregrinação pelos cinco continentes em 4 de junho. A perspectiva é a de que chegue ao Rio no dia 13 de junho, vinda da Cidade do Cabo, na África do Sul.

A partir das 9h da manhã, ela inicia sua trajetória brasileira saindo do Maracanã, passando pelos bairros do Rio Comprido, Centro, Lapa, Glória, Catete, Largo do Machado, Botafogo, Jardim Botânico, Lagoa, Gávea, Leblon, Ipanema, Copacabana, Urca e novamente Botafogo. No total, serão cerca de 45 km a serem percorridos em aproximadamente 8 horas. No dia 15, a tocha deixa o Brasil rumo ao México.

Escolha

Com a confirmação do roteiro, começaram ontem as reuniões para definir os critérios de escolha dos 120 participantes, que carregarão a “chama olímpica” pelas ruas cariocas. Após o anúncio da chegada da tocha ao Rio no dia 13 de junho, representantes da prefeitura, do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), Coca-Cola e Samsung estiveram reunidos para traçarem o perfil das pessoas indicadas.

Por serem patrocinadores oficiais, a Coca-Cola e a Samsung terão o direito de indicar 40 nomes, cada. Na primeira reunião, a prefeitura e o COB deixaram claro a sua intenção de indicar, em sua maioria, atletas.