O bom condicionamento físico tem rendido elogios e assegurado gás suficiente ao elenco rubro-negro para suportar a pressão de adversários e buscar resultados importantes no 2.º tempo. Dos 23 gols anotados pelo clube neste Brasileirão, 14 saíram na etapa final.

Antônio Lopes já declarou que seus comandados só têm conseguido desempenhar as diretrizes táticas pedidas por ele devido ao preparo físico estar em ordem.

O capitão da equipe, Paulo Baier, também ressaltou que está jogando em alto nível por estar bem condicionado. O responsável por deixar os atletas “na ponta dos cascos” é o exigente Riva Carli.

O preparador sempre foi reconhecido pelo bom trabalho que desenvolve por onde passa, em especial no Atlético, clube onde tem história. Riva, que retornou em junho ao CT do Caju, conversou sobre o momento do grupo e confessou que a tendência é de melhora. Isso porque, segundo ele, os jogadores entenderam a sua metodologia de trabalho.

“Eles viram que o rendimento em campo aumentou e não reclamam das cargas de exercícios. Eles sabem que estão melhorando. E esse lado psicológico, do jogador motivado, favorece o treinamento. Tudo que é colocado é executado. Apesar de jovem, o grupo demonstra ser adulto e isso tem nos ajudado bastante”, comentou o preparador. Riva acredita que atualmente o elenco se apresenta, em média, com 70% de suas condições físicas.

Paraná-Online: Jogadores e o Antônio Lopes têm comentado sobre a boa forma física do grupo. Como você recebe esses comentários?

Riva: O incentivo do treinador, principalmente do Lopes que já trabalhou com muitas comissões técnicas, é importante.

Paraná-Online: Dá para quantificar o atual estágio de preparo físico do grupo?

Riva: Nosso grupo está dentro do que nós queremos, hoje está chegando aos 70%. É evidente que falar em percentual é muito difícil. 100% para um jogador é uma coisa fora do normal, porque ele tem diversas capacidades físicas para serem medidas e sempre cresce numa e decresce em outra. O mais importante é você medir a capacidade física do atleta jogando. E nisso, estamos contentes.

Paraná-Online: Ainda dá para melhorar ou agora tem apenas que manter?

Riva: Nós temos que melhorar. Temos muitos jogos pela frente e cada vez mais difíceis e mais disputados. Temos que chegar em outubro numa condição excelente para atingir o nosso objetivo.

Paraná-Online: A experiência dos jogadores também pesa na elaboração dessa planilha de trabalhos físicos?

Riva: Interfere. Por exemplo na resistência especial que é a capacidade do jogador desempenhar a função na posição. Isso é fundamental. Há atletas que não têm a experiência de trabalhar em determinado setor e se desgastam demais. Tem jogador que, na nossa gíria, corre errado e por isso se desgasta. Então ele tem que ter experiência para poder equilibrar as ações.

Paraná-Online: Como está o Alex Mineiro?

Riva: O Alex carece de mais trabalho, mas já evoluiu muito. Estamos trabalhando a questão da força e da estrutura muscular. Ele já tem uma postura diferente no modo de correr e andar em campo. Tudo isso é avaliado. Ele já passou daquela fase do semblante cansado.