A intuição de Rivaldo se fez presente no gol de empate do Brasil contra a Inglaterra. Ele teve a certeza de que Ronaldinho Gaúcho ia lhe passar a bola. Posicionou-se para recebê-la e dar o chute certeiro em frações de segundo. Fruto do entrosamento do ataque da seleção, o artilheiro notou que seria acionado para o desfecho da jogada quando Gaúcho avançava sobre um marcador e de relance deu uma olhada para o lado, a fim de ver quem o acompanhava na arrancada.

?São coisas rápidas, dentro de campo, difíceis de explicar. Ali percebi que ele não concluiria sozinho a jogada?, disse. O quinto gol na Copa o deixou na artilharia da competição  ao lado de Ronaldo e Klose, da Alemanha, com cinco gols. Mas isso não foi o mais importante, como afirmou. Rivaldo considerou o gol um fator de equilíbrio na partida, por ter dado tranqüilidade para a equipe voltar do intervalo sem afobação. ?Colocamos o coração na ponta da chuteira, lutamos até o final. Sofremos muito.?         

Vencer a Inglaterra em condições adversas motivou declarações entusiasmadas do atacante brasileiro. ?A vitória foi de um time que quer ser campeão.? Rivaldo enfatizou o poder de reação da equipe e o preparo psicológico para suportar a pressão dos ingleses após a expulsão de Ronaldinho Gaúcho. Não quis comentar a decisão do árbitro, por não ter visto a falta do companheiro de ataque.