Milão – Agora é para valer: chegou ao fim a passagem de Rivaldo pelo Milan. O vice-presidente Adriano Galliani anunciou sábado que o brasileiro deixará o clube “nos próximos dias” e o técnico Carlo Ancelotti o deixou fora da lista de 21 convocados para o jogo de ontem contra o Modena, em Milão. Ele provavelmente nem treinará mais com o elenco a partir de hoje e por isso não tem nenhuma chance de fazer parte da delegação que irá ao Japão para a final do Mundial Interclubes contra o Boca Juniors dia 14, em Yokohama.

“Lamento dizer que Rivaldo deixará o Milan nos próximos dias e sem dúvida jogará em outro clube a partir de janeiro”, afirmou o dirigente.

Em setembro, Rivaldo chegou a rescindir o contrato , insatisfeito por não ser aproveitado pelo técnico Carlo Ancelotti. Mas voltou atrás três dias depois graças às manifestações de apoio que recebeu dos torcedores. Dois dias depois de cancelar a rescisão, Rivaldo jogou 27 minutos contra o Celta pela Liga dos Campeões, o que lhe deu a esperança de reverter a situação e passar a ter chance de jogar. Foi apenas ilusão, pois aqueles foram os últimos minutos que jogou pelo Milan.

Nesta temporada, Rivaldo só jogou 42 minutos em partidas oficiais os outros 15 foram na final da Supercopa Européia contra o Porto, em Montecarlo. Kaká, por exemplo, já jogou 916 minutos. E Shevchenko, o líder em presença em campo, jogou 1480 minutos.

Quando decidiu cancelar a rescisão, Rivaldo pensava principalmente na seleção brasileira.