Em um fato inédito em seus 107 anos de história, o River Plate terminou um campeonato nacional na última colocação. Após o empate deste sábado em 1 a 1 contra o Estudiantes, em La Plata, a equipe somou 14 pontos em 19 rodadas. Apenas seis meses depois de conquistar o título do Clausura, a competição disputada na Argentina durante o primeiro semestre, o River protagonizou uma campanha para ser esquecida. Chegou ao fim do torneio com duas vitórias e 22 pontos atrás dos três líderes da tabela, que disputarão o título nesta última rodada: Boca Juniors, seu maior rival, Tigres e San Lorenzo.

Só não cairá para a segunda divisão porque o sistema de rebaixamento é diferente na Argentina. Lá, cai quem tiver a pior média de pontos nos últimos campeonatos. Como é o atual campeão nacional, o River se garante na elite do futebol do país. Os gols da partida deste sábado foram marcados pelo zagueiro Eduardo Tuzzio, para o River Plate, e Mauro Bosseli, ex-Boca, para o Estudiantes, atual vice-campeão da Copa Sul-Americana.

Além do vexame de amargar a lanterna do campeonato, o River corre ainda o risco de ver o Boca Juniors conquistar o título nacional neste domingo. O time do craque Riquelme está na primeira colocação, mas com a companhia do San Lorenzo e do Tigres, os três com 36 pontos. Um pouco atrás, com 34, vem o Lanús, ainda esperançoso.

Caso o empate na liderança persista, o campeonato será estendido com jogos entre os times que estiverem disputando o título. A última vez em que isso ocorreu foi há dois anos, quando o Estudiantes derrotou o Boca em um jogo extra. A diferença é que neste ano o desempate pode ser decidido entre três clubes, o que não acontece há 40 anos.