Embalado pela invencibilidade de seu treinador, o Paraná Clube encarou o Vitória e foi derrotado por 1 a 0, graças a uma falha grotesca de sua defesa. Apesar do revés, o Tricolor segue no G4 da Série B, com 14 pontos. Na próxima rodada, a equipe paranaense recebe o Duque de Caxias, sábado, na Vila Capanema.

Falha da zaga determina placar desfavorável no primeiro tempo

Com o retorno de três jogadores titulares – Lisa, Cris e Serginho -, o Paraná Clube encarou o Vitória de igual para igual no primeiro tempo. Porém, uma falha gritante da defesa paranista, aos 28 minutos, prejudicou o Tricolor. Neto Baiano aproveitou a furada do zagueiro Amarildo e a indecisão de Cris e Zé Carlos para mandar para as redes.

Apesar do placar adverso, o Paraná criou boas oportunidades na etapa inicial e parou no paredão do Vitória, chamado Fernando. Com boas defesas nos chutes de Wellington e Giancarlo, o arqueiro garantiu o resultado para a equipe mandante.

Com um a mais, faltou determinação

Para o segundo tempo, o técnico Roberto Fonseca tirou o volante Everton Garroni, que já tinha o cartão amarelo, e colocou Cambará. Logo no início do segundo tempo, o zagueiro Alison reclamou com a arbitragem e foi expulso de campo, deixando o time da casa com um a menos. Com um a mais, o treinador paranista apostou na velocidade do atacante Diego e tirou o volante Júnior Urso, lesionado.

A jovem revelação paranista logo no primeiro lance foi derrubado dentro da área. Lance polêmico, que o árbitro não assinalou nada. O Paraná tentava nas jogadas de bola parada, enquanto o Vitória apenas administrava o placar. No final do jogo, o Paraná ainda perdeu o meio-campista Oliveira, que cometeu falta dura e foi expulso de campo. Ficou assim: Vitória 1×0 Paraná Clube.